#PraCegoVer: A ilustração mostra um menino de roupa social segurando um caderno e, ao seu lado, está uma menina loira de vestido rosa e casaco verde. Os dois estão pulando e com uma das mãos levantadas, sorrindo. A ilustração tem traços que remetem a tempos antigos. Crédito de imagem: Getty Images.

Por Martina Medina

Quanto mais tempo um brasileiro fica na escola, mais dinheiro ele ganha no mercado de trabalho. Essa é a conclusão de um estudo do Banco Central (BC). Segundo os dados, de 1992 a 2018, subiu de 5,8 para 9,9 a média de anos de estudo da população que trabalha no Brasil. Isso permitiu que a renda média dos trabalhadores aumentasse 12% entre 2012 e 2018.

Nos últimos seis anos, a parcela de pessoas ocupadas que fizeram uma faculdade aumentou de 15% para 20,2%. Aqueles que terminaram o ensino médio passaram de 35,6% para 39,3%. Já o grupo que parou de estudar depois do ensino fundamental caiu de 17,2% para 14,7% e aqueles com o fundamental incompleto passaram de 26,8% para 22,6%.

Segundo o BC, concluir o ensino fundamental faz com que uma pessoa ganhe 38% a mais por hora; terminar o ensino médio acrescenta 66% ao salário; e fazer uma faculdade soma 243% à renda em comparação a um trabalhador sem escolaridade.

Além da quantidade de anos de estudo, outros fatores – como período de experiência na profissão e total de horas trabalhadas – influenciam no aumento do dinheiro ganho pela população, de acordo com o BC.

A seguir, confira entrevista com o coordenador do curso de economia do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais de Belo Horizonte (Ibmec BH), Márcio Salvato, que estuda o assunto.

Por que o aumento de escolaridade garante mais renda?
Na escola, é preciso ficar sentado fazendo tarefas sobre vários temas. Pessoas com mais anos de estudo, portanto, possuem mais ferramentas para resolver mais problemas em menos tempo. Isso aumenta a produtividade – capacidade de trabalhar mais e melhor em menos horas – e o rendimento – quanto se ganha pelo trabalho.

É possível garantir que a população seja mais escolarizada e, assim, que as pessoas ganhem mais dinheiro e a economia do país avance?
Em economias mais desenvolvidas, como a dos Estados Unidos, a média de anos de educação é de 13 anos. Ou seja, a maioria da população termina o ensino médio e começa a fazer um curso técnico ou uma graduação. Nós temos uma média de dez anos, isto é, a maioria da população não termina o ensino médio. Isso costuma acontecer em famílias mais pobres, nas quais os jovens começam a trabalhar cedo para ajudar em casa. O governo precisa encontrar maneiras de incentivar os jovens a ficar na escola, dando premiações, por exemplo.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 126 do jornal Joca.

Enquete

De qual capa do Joca em 2022 você mais gostou até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email