Em 1° de maio, os brasileiros celebram o Dia do Trabalho. A data, que foi inspirada em um movimento que ocorreu nos Estados Unidos, é muito mais do que um dia para que os trabalhadores possam descansar. A seguir, veja seis perguntas e respostas sobre esse dia.

Por que a data existe?

Cansados de trabalhar por tantas horas e em condições ruins, cerca de 300 mil trabalhadores americanos de cidades como Chicago, Detroit e Nova York organizaram protestos para pedir que a carga máxima de trabalho diário (ou seja, o número de horas limite que uma pessoa poderia trabalhar por dia) diminuísse. O lema deles era eight-hour day with no cut in pay (que significa “diária de oito horas sem redução do salário”), já que era comum naquela época jornadas de trabalho de até 16 horas por dia. Muitos manifestantes foram agredidos por policiais e dois morreram.

Três dias depois, parte do grupo se reuniu novamente para discutir o destino do movimento, mas um novo confronto com a polícia causou a morte de quatro trabalhadores e sete policiais.

Apesar de muitos manifestantes terem sido presos ou mortos nos dias seguintes, os protestos fizeram com que o mundo todo enxergasse as condições de trabalho desumanas e as altas cargas horárias que eram obrigatórias aos trabalhadores – e isso não acontecia somente nos EUA. Foi por isso que, aos poucos, vários países foram aderindo a uma data como forma de lembrar dos direitos dos trabalhadores.

Porque é no dia 1º de maio?

O dia 1° de maio de 1886 foi quando os trabalhadores dos Estados Unidos foram às ruas das maiores cidades do país pedindo a diminuição da carga horária de trabalho.

Aqui no Brasil, a data só foi considerada feriado a partir de 1925, oito anos após a chamada Greve Geral, uma série de protestos motivados por funcionárias de uma fábrica de tecidos de São Paulo, que paralisaram as atividades para pedir aumento dos salários e redução das horas de trabalho. O movimento durou 30 dias e se espalhou por capitais como Porto Alegre e o Rio de Janeiro. Os patrões deram aumentos de salário e disseram que iam estudar os outros pedidos, mas muitos grevistas foram expulsos do país.

É celebrada só no Brasil ou também em outros países?

Vários países comemoram o Dia do Trabalho, mas nem todos celebram a data em 1° de maio – além do Brasil, alguns lugares como a França, a Índia e a maior parte dos países da África compartilham o feriado nesse dia. Nos Estados Unidos, por exemplo, a primeira segunda-feira de setembro marca o Labor Day (“dia do trabalho” em inglês). Já na Austrália, esse feriado ocorre em dias diferentes para cada região: a parte ocidental (que fica à esquerda no mapa-múndi) celebra em 2 de março, enquanto os estados Victoria e Tasmânia deixam para comemorar uma semana depois; o norte, por outro lado, marca a data em 4 de maio; já o restante, em 5 de outubro.

Desfile de comemoração do Labor Day, nos Estados Unidos, em 1934. Foto: Bettmann/Getty Images

O Dia do Trabalho é feriado só para os adultos?

Mesmo que não trabalhem, as crianças também podem comemorar a data. Uma curiosidade interessante é que, apesar de ser feriado no país inteiro, o estado da Bahia ficou 55 anos sem comemorar, já que os governantes da época acreditavam que não fazia sentido deixar de trabalhar no Dia do Trabalho.

Getúlio Vargas. Foto: Arquivo Nacional

Existe algum tipo de tradição para essa data?

Tradicionalmente, o 1° de maio é um dia de protestos e críticas às condições de trabalho no Brasil. Entretanto, a partir do governo de Getúlio Vargas (1930 a 1945 e 1950 a 1954), o feriado passou a ser visto como uma data de celebração, de modo que eram feitas festas populares e desfiles. Vargas também usou a data para anunciar leis e iniciativas que buscavam ajudar os trabalhadores. É o caso da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), criada, em 1943, para estabelecer benefícios como jornada de trabalho de oito horas, descanso semanal, 13° salário e férias recebendo salário.

Então as condições de trabalho se tornaram ideais no mundo inteiro?

Não. Em alguns países, as próprias leis têm definições que são consideradas injustas pelos trabalhadores. É o caso da China e da Nigéria, que dão cinco dias de férias por ano para os trabalhadores, e do Quênia, onde é permitido que os patrões peçam para seus funcionários trabalharem por até 52 horas por semana – ou seja, 9 horas por dia em cinco dias por semana. Mesmo aqui no Brasil, é comum ter greves de trabalhadores, que pedem por condições melhores de trabalho, até hoje. 

Enquete

O que você mais tem feito pela sua saúde mental durante a pandemia?

Comentários (4)

  • Felipe Correia

    2 dias atrás

    Um texto bastante legal e informativo,gostei muito ler ele,principalmente quando fala da ultima e penultima pergunta.

  • Cinthia Mermude

    2 dias atrás

    Eu achei o texto bem legal, e me ajudou a entender melhor a origem do dia do trabalho.

  • pietra moura

    2 dias atrás

    gostei de mais

  • pietra

    2 dias atrás

    gostei de mais

Compartilhar por email