Há seis dias, policiais do estado do Espírito Santo estão sem trabalhar.

No último sábado, dia 4, familiares, incluindo as esposas dos funcionários, foram até as bases da polícia e começaram a impedir que os policiais fossem para as ruas e fizessem o seu trabalho.

O principal objetivo é forçar o governo do estado a aumentar o salário dos policiais, que, segundo os manifestantes, está muito baixo. Além disso, o protesto também pede melhores condições de trabalho, dinheiro para pagar a alimentação, entre outros pedidos.

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, disse que o aumento do salário dos policiais custaria R$ 500 milhões ao governo, que, de acordo com ele, não tem todo esse dinheiro no momento.

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung

Os parentes dos policiais, no entanto, já afirmaram que só sairão das bases da polícia quando o governo atender aos seus pedidos. Desde sábado, muitos estão acampados nos locais.

Crimes

Sem a polícia nas ruas, muitos criminosos estão aproveitando para cometer crimes.

Até agora, 95 pessoas já morreram e 200 lojas foram roubadas.

Para aumentar a segurança no estado, foram enviados 1850 funcionários do exército, que têm como objetivo fazer o mesmo trabalho que os polícias fariam em dias normais.

Porém, o número de soldados nas ruas é muito menor do que o de policiais. A diferença chega a ser de  8.150 homens.

Com medo da criminalidade, escolas e postos de saúde foram fechados e não têm previsão para serem reabertos.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (1)

  • Francisco de Melo Segundo

    4 anos atrás

    Isso realmente tinha que ser falado

Compartilhar por email