Após ter adotado restrições em março, determinadas cidades e estados começaram a amenizar medidas de quarentena. Confira a situação em alguns locais

Amazonas: reabertura gradual do comércio na capital, Manaus, a partir de 1º de junho

Ceará: em 1º de junho, houve reabertura de alguns setores, como parte do comércio. Mas em sete cidades, como Caucaia e Sobral, as restrições foram endurecidas.

Minas Gerais: na capital, Belo Horizonte, salões de beleza, shoppings e alguns comércios reabriram em 25 de maio. Mais setores retornam em 8 de junho.

Pará: em 6 de junho, a capital, Belém, pôde reabrir locais como shoppings e salões de beleza.

Pernambuco: setores como o comércio atacadista (que vende em grandes quantidades) retornaram em 8 de junho. Outros, como salões de beleza, têm previsão de volta no dia 15.

Rio de Janeiro: na capital, houve um início de relaxamento, em 2 junho, com a permissão da prática de atividades físicas no calçadão da praia, por exemplo. O governo do estado permitiu, em 6 de junho, a volta de locais como shoppings e restaurantes. No entanto, na tarde do dia 8, a Justiça suspendeu trechos dos decretos de flexibilização do estado e da prefeitura — ambos ainda não haviam se pronunciado até o fechamento desta edição.

São Paulo: em 1º de junho, a prefeitura da capital começou a receber protocolos (prevendo medidas de segurança) de setores que desejam retornar. No dia 5, concessionárias de automóveis e escritórios voltaram a atender o público por quatro horas diárias.

Escolas
Ainda são poucas as previsões de volta das aulas presenciais. No Maranhão, por exemplo, a reabertura está prevista para 15 de junho, de forma gradual — primeiro as universidades, seguidas por ensino médio, depois ensino fundamental e, só então, educação infantil. Já no estado do Rio de Janeiro, um retorno em fases deve começar em 2 de julho.

Números*
Casos confirmados:
mais de 707.400
Mortes: mais de 37.130
*De acordo com o site do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) até o fechamento desta edição, pois o Ministério da Saúde interrompeu a divulgação dos dados totais da situação da pandemia no país. O Conass não traz dados sobre o número de pessoas recuperadas da doença.

Fontes: Agência Brasil, Estado de Minas, Folha PE, G1, NSC Total, O Povo, site da prefeitura do Rio de Janeiro e sites oficiais dos governos do Amazonas, Alagoas, Amapá, Ceará e Pará

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 151 do jornal Joca.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • Matérias do Joca sobre o novo coronavírus - Jornal Joca

    1 ano atrás

    […] Mês de junho marca reaberturas pelos Brasil […]

Compartilhar por email