Os livros ficam guardados em barcos para não molhar

A Libreria Acqua Alta, em Veneza, na Itália, guarda seus livros em gôndolas (um tipo de barco muito tradicional dessa região do país).

A prioridade por lá é não deixar que os exemplares molhem, uma vez que, na cidade, muitas casas e prédios estão construídos na beira do canal e, no inverno, a maré alta faz com que as águas invadam as ruas e construções.

As inundações duram de três a quatro horas e são causadas por marés muito altas que ocorrem no norte do Mar Adriático.

Quando as águas dos canais sobem e as lojas enchem de água, os livros que ficam na parte de baixo da livraria, boiam em cima das gôndolas e assim, permanecem secos.

A Libreria Acqua Alta que literalmente significa “livraria da água alta”, foi fundada em 2004 e virou atração entre os turistas e moradores, porque além da enorme variedade de livros, novos e usados – desde exemplares sobre Veneza, até obras mais atuais, como os livros mais vendidos do momento – há muitas obras usadas para sua decoração.

Enciclopédias antigas e livros que ninguém mais compra foram transformados em escadas e peças de decoração. Assim, pilhas de livros desgastados pela água cobrem as paredes do chão ao teto deixando-as coloridas.

Libreria Acqua Alta 
Endereço:
Campiello del Tintor, 30122 Venezia, Itália

A cidade de Veneza 

O passeio de gôndola (barco preto) é uma das maiores atrações da cidade

Em Veneza, muitas pessoas se locomovem usando gôndolas ou canoas que navegam pelo Grande Canal.

A partir do século XI, a cidade se tornou um dos principais pontos de compras e vendas do mundo.

Com o passar do tempo, foi perdendo sua importância comercial e, hoje, é um dos pontos turísticos mais famosos do mundo.

Muitos turistas visitam Veneza para passear de gôndola, caminhar pelas pontes (há mais de 400) e visitar as igrejas e museus da cidade.

 

 

 

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • livia

    9 meses atrás

    consegui fazer minha atividade

Compartilhar por email