Foto: Carlos Alberto/Imprensa MG

O Conjunto Moderno da Pampulha, em Belo Horizonte (MG) conquistou o título de Patrimônio Mundial da Humanidade.

Encomendado pelo então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek ao arquiteto Oscar Niemeyer, o conjunto modernista também contou com Roberto Burle Marx, que assina o paisagismo, e Cândido Portinari, autor do painel externo de azulejos da Igreja de São Francisco de Assis, que é um dos principais cartões-postais de Minas Gerais.

Belo Horizonte_igreja_da_pampulha_foto_embraturSE_BeloHZ0594001

A decisão foi tomada durante a 40ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Humanidade.

Foto: Carlos Alberto/Imprensa MG
Foto: Carlos Alberto/Imprensa MG

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em em encontro realizado entre os dias 15 e 17 de julho, no Centro de Convenções de Istambul, na Turquia.

Foto: Nathalia Turcheti/ Portal PBH
Foto: Nathalia Turcheti/ Portal PBH

A indicação da Pampulha foi ratificada pelos 21 países integrantes do comitê, por consenso, informou o Ministério da Cultura. 

Foto: Portal PBH

Com essa decisão, o Conjunto da Pampulha, em Belo Horizonte, passa a ser o 20º bem brasileiro inscrito na Lista do Patrimônio Mundial.

Foto: Adão de Souza/Portal PBH

Construído nos primeiros anos da década de 40, o conjunto antecipa conceitos arquitetônicos que viriam a ser aplicados anos mais tarde na construção de Brasília.

Foto: Portal PBH

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2021?

Comentários (0)

Compartilhar por email