#pracegover: sobre fundo azul-claro, a imagem mostra um par de chinelos de dedo amarelo. Foto: Getty Image.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou no dia 5 de abril que o Brasil não terá horário de verão entre 2019 e 2020. Segundo o comunicado, a decisão foi tomada levando em conta uma pesquisa do Ministério de Minas e Energia em que 53% dos entrevistados (ou seja, mais da metade das pessoas ouvidas) pediram o fim da alteração no horário, que adianta os relógios em uma hora. Também foi considerado o fato de que o programa já não economiza a mesma quantidade de energia que antigamente.

O relatório do governo apontou a atual rotina dos brasileiros como uma das razões para a economia não ser mais tão eficiente. Fatores como utilização mais frequente do ar-condicionado durante o dia estão entre as mudanças de hábito.

Em comunicado oficial, Otávio Rêgo Barros, porta-voz da Presidência, afirmou que essa não é uma medida permanente e servirá apenas para o período determinado. Para o futuro, serão feitas novas avaliações sobre a necessidade ou não do horário de verão.

História O Brasil adotou pela primeira vez o horário de verão entre 3 de outubro de 1931 e 31 de março de 1932. Depois disso, houve períodos em que a mudança de horário foi suspensa, mas a medida vinha sendo adotada sem interrupções desde 1985.

Notícia publicada originalmente na edição 129 do jornal Joca.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email