Uma pesquisa referente ao período de 8 a 21 de novembro, feita pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgada em 27 de novembro, mostrou piora da situação da covid-19 no Brasil. “Os dados consolidados para o país revelam um aumento súbito no número de casos e de óbitos por covid-19 (…), após um longo período de redução desses indicadores. Ainda não se pode afirmar que o Brasil vive uma ‘segunda onda’ da pandemia, mas a inversão da tendência de redução desses indicadores deve servir como alerta para todo o sistema de saúde”, afirma o Boletim Observatório Covid-19, da Fiocruz.

O relatório também pede atenção para o fato de os números da doença trazidos no levantamento serem de semanas logo após terem acontecido problemas no sistema do governo federal que atualiza os dados da pandemia. Isso pode ter feito com que os registros se acumulassem.

O documento ainda relembra a importância de combinar ações de distanciamento social e realização de testes para combater a pandemia.

Joca_162-mapa3
#pracegover: dois mapas do Brasil trazem informações sobre redução, manutenção ou crescimento de casos e de mortes de covid-19 nos estados, entre 8 e 21 de novembro. Imagem: reprodução jornal Joca. Fonte: Fiocruz

Estados anunciam novas medidas de restrição
Confira algumas das mudanças para conter o aumento de casos e mortes

Amapá
Em 2 de dezembro, Macapá, a capital, prorrogou o decreto de prevenção de covid-19 por 14 dias. Seguem proibidas ações de campanhas eleitorais com aglomeração (as eleições foram adiadas na cidade, saiba mais na página 2), além do funcionamento de bares, casas noturnas e locais para shows. De acordo com a prefeitura, as medidas se devem ao aumento dos casos nas últimas semanas.

Minas Gerais
A região sul do estado voltou para uma fase mais restritiva, chamada de onda amarela, que permite a abertura de serviços não essenciais com menor risco de contágio, como salões de beleza. Áreas que se encontram na onda verde já podem abrir serviços não essenciais de alto risco, como cinemas. Além disso, na capital, Belo Horizonte, o consumo de bebidas alcóolicas em bares e restaurantes, entre outros locais, está proibido a partir de 7 de dezembro para evitar aglomerações.

Rio de Janeiro
Foi anunciado, em 4 de dezembro, que as escolas municipais da capital serão fechadas novamente. Os shoppings receberam autorização para funcionar por 24 horas diárias, com a intenção de que as pessoas façam compras de Natal em horários alternativos, evitando aglomerações. O Comitê Científico da Prefeitura do Rio sugeriu que medidas mais firmes fossem tomadas, como a proibição de banhistas em praias. Até o fechamento desta edição do Joca, as sugestões não tinham sido acatadas.

São Paulo
O estado inteiro foi colocado na fase amarela do plano de flexibilização a partir de 2 de dezembro — algumas cidades, como a capital, já tinham avançado para a fase verde. Isso quer dizer que comércios e serviços voltaram a ter horário mais limitado, podendo ficar abertos por dez horas diárias, no máximo até as 22h. Além disso, estão proibidos eventos em que o público fique em pé, a lotação para bares, restaurantes e salões de beleza deve ser de 40% da capacidade e, para academias, a ocupação máxima deve ser de 30%.

Paraná
Medidas mais rígidas valem a partir de 7 de dezembro: toque de recolher das 23h às 5h; proibição de eventos presenciais com mais de dez pessoas (exceto para jovens até 14 anos) — sem validade para drive-in (de cinema, dentro de carros).

Rio Grande do Sul
O governo classificou como em fase vermelha 19 das 21 regiões do estado. Desde 1º de dezembro, está proibida a permanência em locais públicos sem controle de acesso, como parques e praias. Cinemas e teatros fecharam novamente. O comércio está funcionando até as 20h e restaurantes e bares até as 22h.

Santa Catarina
O governo anunciou, em 2 de dezembro, que estabelecimentos deverão fechar às 23 horas, mas poderão atender clientes que já estiverem no local. Ônibus devem funcionar com 70% da capacidade e o toque de recolher, que já estava em vigor, foi estendido para o período entre 23h e 5h.

Piauí
Embora o governo do estado não tenha alterado medidas de segurança, municípios tomaram algumas atitudes. Em Júlio Borges, desde 30 de novembro, estão abertos apenas serviços essenciais. Em Prata, aglomerações em praças ou calçadas estão sendo punidas com multa.

Total de casos no Brasil: 6.623.911*
Total de mortes no Brasil: 177.317*
*De acordo com o Ministério da Saúde, em 7 de dezembro.

Fontes: Agência Brasil, Estado de Minas, G1, governo de Minas Gerais, Paraná, Piauí, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, ND+, prefeitura de Macapá e UOL

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 162 do jornal Joca.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • Matérias do Joca sobre o novo coronavírus - Jornal Joca

    1 ano atrás

    […] Fiocruz alerta para aumento de casos e mortes de covid-19 no Brasil […]

Compartilhar por email