Um alerta feito pela Organização Não Governa mental (ONG) KidsRights, em 26 de maio, chamou a atenção para os direitos das crianças que estão sendo “gravemente afetados” por causa da pandemia do novo coronavírus. De acordo com a ONG, sediada em Amsterdã, na Holanda, as medidas que precisaram ser tomadas para conter o vírus e as consequências econômicas que virão da covid-19 vão gerar grande impacto sobre muitos jovens.

Um exemplo disso está na suspensão de aulas presenciais, fato registrado em 188 países e que atinge cerca de 1,5 bilhão de crianças e adolescentes. Esse cenário, de acordo com a ONG, deixa os jovens mais expostos a possíveis situações de trabalho fora do que é previsto por lei, por exemplo. Em comunicado, o fundador e presidente da KidsRights, Marc Dullaert, afirmou que a “crise joga por terra anos de progresso no bem-estar das crianças”.

Outro fator preocupante está no sistema de saúde. Em consequência da pandemia, diversos programas de vacinação contra doenças foram interrompidos, mesmo que temporariamente. De acordo com a ONG, a suspensão da vacinação contra sarampo em ao menos 23 países já afetou mais de 78 milhões de crianças com menos de 9 anos.

No comunicado, Marc Dullaert ainda destacou que “deixar de lado a proteção das crianças pode ser desastroso a curto prazo, mas, mais ainda a longo prazo, tanto para a geração atual como a futura”.

#pracegover: em Jacarta, Indonésia, criança vestindo camiseta vermelha e máscara branca no rosto aguarda para receber pacote com alimentos doados às famílias afetadas pela covid-19. Foto: Aditya Irawan/NurPhoto via Getty Images

Direitos das crianças pelo mundo

Islândia
Suíça
Finlândia
102º Brasil

De acordo com um ranking elaborado pela KidsRights em parceria com a Erasmus University Rotterdam, na Holanda, em 2020, o primeiro país em respeito aos direitos das crianças é a Islândia. Em segundo lugar vem a Suíça e, em terceiro, a Finlândia. O Brasil ocupa a 102ª posição de um total de 182 países listados. Para o levantamento, a ONG usa dados de entidades ligadas à Organização das Nações Unidas (ONU), que incluem fatores como direito à vida, saúde, educação e proteção.

Fontes: Estadão, G1 e KidsRights.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 151 do jornal Joca.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (4)

  • Guimaraes

    1 ano atrás

    Meu cronograma de ativiades falou para ler isso

  • Elane

    1 ano atrás

    muito legal, minha professora mandou eu ler esse texto.

  • Eunice

    1 ano atrás

    Gostei muito ! :)

  • Leonardo

    1 ano atrás

    matéria ótima sobre direito das crianças e adolescentes do mundo em tempos de pandemia da covid-19.

Compartilhar por email