Foto: Lula Marques/Agência PT

Por 55 votos a favor e 22 contra, os senadores brasileiros aprovaram a continuidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

A presidente ficará afastada do poder por até 180 dias, enquanto será julgada no Senado.

Foto: Lula Marques/Agência PT

Às 6h34 das manhã de quinta-feira, dia 12 de maio, o Senado Federal aprovou a abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff  (PT).Foram 55 votos a favor e 22 contra.
Com a decisão, ela fica afastada do mandato por até 180 dias, até o julgamento final pelo Senado.

Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula (01/01/2015)

Com o afastamento de Dilma, o vice-presidente, Michel Temer (PMDB, foto acima) assume como presidente em exercício.
A sessão do julgamento durou mais de 20 horas.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não votou – ele só votaria em caso de empate.
Dilma Rousseff e Michel Temer serão oficialmente notificados nesta quinta (12) da decisão do afastamento.

Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula (01/01/2015)

Dilma ficará no Palácio da Alvorada, manterá o salário e avião oficial.

A presidente Dilma Rousseff poderá manter, enquanto estiver afastada da Presidência daRepública, salário de R$ 27.841,2.

Ela ainda continuará no Palácio do Alvorada (residência oficial do presidente da República), terá segurança pessoal, assistência saúde, avião, carro oficial e a equipe a serviço de seu gabinete pessoal.

“A partir do recebimento desta intimação, está instaurado o processo de impedimento […] por crime de responsabilidade. […] Mantendo [a presidente Dilma Rousseff] durante esse período as prerrogativas do cargo relativas ao uso de residência oficial, segurança pessoal, assistência saúde, transporte aéreo e terrestre, remuneração e equipe a serviço do Gabinete pessoal da Presidência”, anunciou Renan Calheiros.

Enquete

De qual capa do Joca em 2022 você mais gostou até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email