Por tradição, o Dicionário Oxford, de língua inglesa, sempre divulga uma palavra que representa o ano que está para acabar com base no número de vezes que o termo é pesquisado na internet e no seu impacto cultural. No entanto, a equipe da publicação afirmou que não vai escolher uma palavra para 2020.

Em entrevista ao jornal The New York Times em 22 de novembro, Katherine Connor Martin, chefe de produto da Oxford Languages, explicou a decisão: “O que mais impressionou a equipe em 2020 foi a escala e o escopo da mudança”. Isso significa que tanta coisa mudou neste ano, tão rapidamente e em tantos lugares, que ficou impossível escolher uma palavra só. Em vez disso, o Dicionário Oxford elegeu diversos termos. Entre eles está blursday: quando os dias da semana se confundem entre si.

Também aparece na lista infodemic, em referência ao alto número de informações sobre a pandemia. Para 2021, Martin disse esperar palavras mais leves e divertidas, que não pareçam segurar o peso do mundo em seus ombros.

As palavras escolhidas nos três últimos anos

2019: “Emergência climática” – por conta da preocupação do mundo com o aquecimento global.
2018: “Tóxico” – foi um ano em que se falou muito sobre a positividade em relacionamentos e no ambiente de trabalho.
2017: “Youthquake” – mistura de youth (jovem) e quake (tremor ou abalo), em referência ao impacto cultura dos jovens no mundo, principalmente, nas redes sociais.

A visão de outro dicionário
Para o Dicionário Cambridge, também em língua inglesa, a palavra do ano para 2020 foi “quarentena”. Segundo a publicação, o pico de busca para o termo aconteceu em março.

Fontes: CNN, G1, O Globo, O Povo, R7 e The New York Times.

Reportagem originalmente publicada na edição 162 do jornal Joca.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • Matérias do Joca sobre o novo coronavírus – Jornal Joca

    6 meses atrás

    […] Dicionário Oxford desiste de escolher a palavra do ano em 2020 […]

Compartilhar por email