Um levantamento divulgado nessa segunda-feira (17) pelo Ministério da Saúde mostrou que nos últimos dez anos a obesidade cresceu de 11,8% para 18,9%, atingindo 1 em cada 5 brasileiros.

A pesquisa ainda revela que mais da metade dos brasileiros (53,8%) está acima do peso, e que esse fator colaborou para a o aumento de diabetes e hipertensão entre a população.

A obesidade e o excesso de peso são calculados a partir do IMC (Índice de Massa Corporal) que divide o peso pela altura ao quadrado. Índices iguais ou maiores que 25 são considerados como excesso de peso, e maiores de 30 kg/m2, obesidade.

Os casos de sobrepeso cresceram mais entre as mulheres: passaram de 38,5% para 50,5%. Já entre os homens, o aumento foi de 47,5% para 57,75.

Rio Branco é a capital brasileira com mais casos de obesidade por habitante: 60,6 casos para cada 100.000 habitantes. Em seguida estão Campo Grande (58/100.000 habitantes), Recife, João Pessoa, Natal (56,6/100.000 habitantes) e Fortaleza (56,5/100.000 habitantes).

Palmas é a capital com a menor índice de excesso de peso, apresentando 47,7 casos para cada 100.000 habitantes.

O levantamento mostra ainda que o excesso de peso aumenta com a idade, e é maior entre os que têm menor grau de escolaridade.

Entre as pessoas com idade entre 18 e 24 anos, o índice de obesidade é de 30,3%. Já entre brasileiros de 35 a 44 anos, é de 61,1% e, entre os com idade de 55 a 64 anos, o número chega a 62,4%. Já na população com 65 anos ou mais, o índice é de 57,7%.

Quanto à escolaridade, 59,2% das pessoas com até oito anos de escolaridade apresentam excesso de peso. O índice cai para 53,3% entre os brasileiros que estudaram de nove a 11 anos, e para 48,8% entre os que tem 12 ou mais anos de escolaridade.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email