Em novembro, laboratórios divulgaram resultados da terceira fase de testes da vacina contra o novo coronavírus que apontam altos índices de eficiência. A norte-americana Pfizer e a alemã BioNTech, por exemplo, anunciaram que a vacina desenvolvida por elas apresentou 95% de eficácia na prevenção à doença.

Gabriel H., de 37 anos, morador de Santo André (SP), é um dos voluntários do estudo. “Recebi duas doses. Estou em acompanhamento, respondo perguntas por um aplicativo para monitorar a minha saúde. Não tenho sentido nada de diferente”, contou ao Joca.

Outra farmacêutica, a norte-americana Moderna, anunciou em 16 de novembro que a terceira fase dos testes com sua vacina apresentou 94,5% de eficácia, mas que ela não estará disponível para ser aplicada antes de março.

Um dia depois, a chinesa Sinovac, que tem parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, publicou estudo mostrando que a vacina CoronaVac produziu anticorpos (que combatem o vírus) em 97% dos casos nas fases de teste 1 e 2. A terceira fase ainda não teve informações divulgadas.

Outra que teve resultados divulgados foi a vacina desenvolvida em parceria entre a Universidade de Oxford, do Reino Unido, e a farmacêutica AstraZeneca: eficácia média de 70%, podendo chegar a 90%. O governo federal do Brasil, por meio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), planeja distribuir essa vacina no país.

As notícias são positivas, mas ainda não há data certa para uma vacinação no Brasil. Enquanto isso, medidas de prevenção, como uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social, seguem sendo recomendadas por especialistas.

#pracegover: a imagem mostra um seringa com agulha. Foto: Getty Images

As fases de teste de uma vacina

Fase pré-clínica
Testes em laboratório com o vírus sem envolver qualquer humano. Normalmente, camundongos são cobaias.

Fase 1
A vacina é aplicada em poucos humanos (menos de 50, na maioria das vezes) para testar a segurança para a nossa saúde.

Fase 2
É aplicada em um número médio de humanos (algumas centenas) para checar se vai trazer a resposta adequada. Também é hora de verificar o surgimento de algum efeito colateral.

Fase 3
Teste com milhares de humanos. É normal aplicar em pessoas com alto risco de contágio (como profissionais da saúde) para verificar a reação em contato com a doença. Depois, a vacina é submetida às autoridades regulatórias. No Brasil, é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Se for aprovada, começa a produção em grande quantidade.

Fontes: BBC, Estadão, Extra, Folha de S.Paulo, IstoÉ, G1, O Globo e Olhar Digital.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 161 do jornal Joca.

Enquete

Qual é a sua maior promessa de ano-novo?

Comentários (2)

  • Matérias do Joca sobre o novo coronavírus - Jornal Joca

    1 mês atrás

    […] Vacinas anunciam resultados com até 95% de eficácia contra a covid-19 […]

  • Jamilly vitória

    1 mês atrás

    Amei as notícia

Compartilhar por email