Contos de Carlotas: O que há com as dores de Dolores? Arte: Beatriz Lopes

Contos de Carlotas: O que há com as dores de Dolores? Arte: Beatriz Lopes

Chegou a primeira sexta-feira do mês e isso quer dizer que hoje é dia de Contos de Carlotas no site do Joca. Em novembro, a personagem apresentada é Dolores. Em uma primeira impressão, talvez você comece a pensar que ela reclama demais de suas dores e problemas de saúde. Mas siga até o fim do texto para entender o que mais se passa com Dolores.

Por Fabiana Gutierrez

O que sobra na dona Dolores é alegria. Está sempre animada e fazendo piada. É muito difícil vê-la se queixando. Ops. Não! Ela está sempre se queixando da sua saúde. Mas com muito bom humor. “Hoje estou toda crocante. É um tal de estalar joelho…” ou “dói tudo. Acho que é um problema de junta, sabe? Junta tudo e joga fora”. E logo cai na gargalhada. Sua bolsa tem remédio para tudo. Tá com dor de cabeça? Ela tem um comprimido. Tá com tosse? Tem mel spray. Tá com febre? Toma esse analgésico aqui. Comeu muito? Tem antiácido.

Aliás, antiácido é o que mais tem na bolsa da dona Dolores. Todo fim de tarde, lá vai ela fazer sua caminhadinha na praça – sabe como é, caminhar é bom para a circulação – e, inevitavelmente, encosta-se na janela da dona Beta para colocar o papo em dia. Papo vai, papo vem, café sai, café vem… E na casa da dona Beta sempre tem um bolinho. Mesmo depois de dizer “ai, eu não devo. Minha glicemia, meu colesterol, meu triglicérides”, a dona Dolores manda ver uma generosa fatia de bolo. Resultado? A despedida é sempre acompanhada por um “nossa, nem vou jantar” ou “hoje, só uma sopinha”.

No caminho de casa, parada obrigatória na farmácia. Sempre tem algo faltando. E lá se vão mais uns minutinhos papeando com o seu Chagas, o farmacêutico.

– Tudo bem, dona Dolores?
– Tudo bem, seu Chagas. Olha, meu reumatismo está me dizendo que vai chover. O senhor trouxe guarda-chuva?

Quando não era previsão meteorológica das juntas da dona Dolores, o assunto eram os novos medicamentos. Mas a verdade era que a saúde da dona Dolores era de ferro. Ela reclamava, reclamava, reclamava, mas estava sempre disposta, batendo perna pela cidade e, principalmente, trabalhando como voluntária no Hospital das Clínicas. Acho que esse papo todo de doença era só uma profunda empatia que tinha pelos pacientes com quem ela passava a tarde lendo histórias.

Para conhecer outros personagens que ilustram diálogos importantes, visite carlotas.org.

Clique na imagem abaixo para imprimir.

Contos de Carlotas: O que há com as dores de Dolores? Arte: Beatriz Lopes

Enquete

Qual é o acontecimento mais esperado de 2020?

Comentários (3)

  • Danielly paschoareli da silva macedo

    1 mês atrás

    Olá Joca ❤ Sou a danielly. 4c Amei a reportagem:oque há além das dores de dolores, amos vcs principalmente a Stephanie Bjs joca ❤ #brumadinho #amo vcs #amo o joca #amo vcs #amo muito a Stephaniedo fundo do meu coração

  • Camilla Aiko Nakano

    1 mês atrás

    legal

  • EMEF Prof. Laerte José dos Santos

    1 mês atrás

    ola joca lemos a matéria do contos carlotas, "o que há além das dores de Dolores"? gostamos muito porque percebemos que o conta diz, sobre dar atenção aos mais velhos. achamos que D.Dolores queria atenção e não doente. Ela parece nossa vó. alunos do 4º ANO - C emef. Laerte

Compartilhar por email