A previsão é que as escolas estaduais do Rio de Janeiro voltem às aulas presenciais a partir de 5 de outubro. Foto: Klaus Vedfelt/ Getty Images

A Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro decidiu, em 13 de setembro, que as escolas e faculdades particulares do estado poderão voltar a ter aulas presenciais antes da distribuição de uma vacina contra o novo coronavírus. 

A resolução mudou o que havia sido decidido no dia 10 do mesmo mês pela Justiça, que definia aulas presenciais apenas quando houvesse uma vacina ou caso o retorno fosse comprovadamente seguro. A decisão de permitir o retorno das aulas presenciais levou em conta a visão do desembargador responsável, Carlos Henrique Chernicharo.

Isso não quer dizer que as atividades serão retomadas imediatamente. Apesar da resolução ter permitido que os colégios e faculdades particulares do estado voltassem a funcionar (para as turmas de Ensino Fundamental e Ensino Médio), as escolas da capital, por exemplo, ainda não estão autorizadas a retornar a ter aulas presenciais.

Por que a Justiça tinha decidido proibir o retorno das aulas presenciais?

A decisão do dia 10 – ou seja, de não retomar as atividades presencialmemte – levou em conta o fato de que a média móvel (saiba o que é a média móvel abaixo) da covid-19 ainda não está suficientemente estável.

Previsões para colégios estaduais e municipais

Nas escolas estaduais, o retorno está previsto para 5 de outubro, mas só para os alunos que não têm acesso à internet ou computador. Isso, no entanto, depende da região onde cada escola fica e só poderá ocorrer caso o local fique por pelo menos duas semanas em situação de baixo risco de disseminação do novo coronavírus.

Já nas escolas municipais, a decisão de retorno às aulas presenciais continua por conta de cada município. Na capital ainda não há previsão de retorno para esses colégios. 

O que é a média móvel?

É uma média do número de novos casos ou de novas mortes confirmados nos últimos sete dias. Então, esse valor é comparado com a média de 14 dias antes. Se o resultado da comparação indicar variação (para mais ou para menos) de até 15%, considera-se que a situação está estável. Se houver mais de 15% de aumento nos novos casos ou novas mortes, o resultado mostra avanço da pandemia. Se o registro for de mais de 15% na queda, o índice aponta diminuição no avanço da doença.

Saiba como evitar notícias falsas sobre o novo coronavírus

Para te ajudar a evitar informações falsas sobre a pandemia, o Joca selecionou dicas do que você pode fazer para diferenciar notícias verdadeiras de conteúdos enganosos. Saiba mais no link.

*Matéria atualizada em 14 de setembro, às 14h17.

Fontes: Guia do Estudante, G1, G1, G1, Terra, UOL e Veja S. Paulo.

Enquete

Na sua opinião, até agora, qual foi o fato mais importante de 2020 (além da pandemia do novo coronavírus)?

Comentários (4)

  • Dora Zacche

    1 semana atrás

    acho que deveriam ter mais cuidado com o coronavirus que está no mundo,temos que nos cuidar,e cuidar dos outros tb,isso que estão fazendo é totalmente provavel que o virus se espalhe muito mais, se abrirem as escolas vão entrar em risco,as crianças,os adultos e as pessoas mais velhas,pois todos nos temos familias que podemos infectar.

  • luana

    1 semana atrás

    adorei o conteúdo!!! Concordo com o que o joca falou no final da notícia sobre as notícias falsas.Obrigado joca por sempre nos dar conselho com as coisas da internet!!!

  • GABY

    1 semana atrás

    O JORNAL JOCA E OTIMO PARA OS ESTUDOS

  • maria rita

    1 semana atrás

    adorei o joca muito legal e o melhor e pra riancas eu adorei

Compartilhar por email