Todos os dias, circulam pela internet textos, mensagens, vídeos e até memes com informações falsas — as chamadas fake news — sobre o novo coronavírus. Confira alguns exemplos de conteúdos enganosos que estão sendo divulgados durante a pandemia e veja dicas para diferenciar o que é falso do que é verdadeiro

Como não cair em fake news?

Desconfie dos conteúdos que receber
Primeiro, pare e pense: “Esta informação faz sentido?”; “será que não há algo estranho nela?”. Lembre-se: informações falsas podem ser perigosas. Alguém pode acreditar nelas e tomar atitudes ruins a partir disso. Por isso, antes de compartilhar um conteúdo, é importante ter certeza de que ele é verdadeiro.

Siga apenas fontes confiáveis

Informe-se por meio de jornais, revistas ou sites de confiança — as fontes usadas nas reportagens do Joca são exemplos de veículos
confiáveis. Nessas fontes há profissionais que checam as informações antes de elas serem publicadas.

Envie o que recebeu para um canal que checa informações. Se ficar com dúvidas, lembre-se de que há diversos sites e entidades que ajudam a população a verificar se um conteúdo é verdadeiro ou não. Por exemplo:

Ministério da Saúde: o site do órgão tem uma área dedicada a combater notícias falsas relacionadas ao novo coronavírus. Veja se a sua dúvida já foi respondida pela instituição. Se não, peça que seus pais ou responsáveis mandem uma mensagem com a dúvida para o WhatsApp do Ministério: (61) 99289-4640. Site: saude.gov.br/fakenews.

Agência Lupa: é especializada em combater fake news. Você pode conferir se a sua dúvida já foi respondida pela entidade ou entrar em contato e pedir que verifique se o conteúdo a que você teve acesso é verdadeiro. Acesse: bit.ly/agencia-lupa.

Esta informação é falsa!Beber água a 26 ou 27 graus Celsius (ºC) extermina o novo coronavírus
Por enquanto, não há nenhuma substância, remédio, vacina ou alimento que seja capaz de prevenir o contágio ou acabar com a infecção.

Esta informação é falsaQuem toma vacina contra a gripe e contrai o vírus corre mais riscos
Não há estudos comprovados mostrando que a vacina contra a gripe piore o quadro da covid-19.

Esta informação é falsa! • Álcool em gel não combate o vírus
Os mais respeitados laboratórios e entidades de saúde do mundo afirmam que o álcool em gel é, sim, capaz de evitar a contaminação pelo novo coronavírus. Isso porque o vírus possui uma camada de gordura de proteção que se dissolve ao entrar em contato com sabão ou álcool, o que faz com que ele seja destruído.

Atenção: o tipo mais eficiente de álcool em gel é o 70% (no rótulo do produto, geralmente está a indicação 70°). Concentrações maiores ou menores não são tão eficientes para combater o vírus.

Fontes: hospital Oswaldo Cruz, Journal of Hospital Infection, Ministério da Saúde e Portal Drauzio Varella.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 155 do jornal Joca.

Enquete

Qual foi o seu game preferido do ano, até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email