Muitos pais ainda acreditam que apenas tirar boas notas é sinônimo de ir bem na escola. Mas será que analisar o boletim da criança a cada 3 meses realmente significa que você sabe como ela está se desenvolvendo?

Na corrida rotina da maioria dos pais, acompanhar o desempenho escolar dos filhos pode se tornar um desafio. Pensando nisso, elaboramos este guia prático com dicas de como ajudar seu filho a ir bem na escola. Além de garantir um acompanhamento mais eficaz, as dicas vão ajudar você a estabelecer uma relação de confiança com a criança. Continue a leitura para saber mais.

1. Conheça a rotina escolar do seu filho 

Antes de qualquer coisa, é necessário conhecer o conteúdo estudado pelo seu filho, o ambiente escolar no qual ele está inserido, conversar com os diretores e professores da escola onde ele estuda etc. Um bom começo é conhecer o material didático que ele usa.

Pegue a apostila que ele usa para estudar e veja como o conteúdo é passado. O material é mais pragmático, teórico ou é mais lúdico, ensinando por meio de brincadeiras e incentivando o aprendizado fora da sala de aula? Conhecendo todos esses fatores, fica mais fácil saber a melhor maneira de complementar o ensino da criança em casa.

2. Ajude-o a criar o hábito do estudo 

É importante que a criança perceba as vantagens do estudo contínuo para abandonar a ideia de que só é necessário estudar na véspera de uma prova.

O número de horas diárias de estudo varia de acordo com a idade. Mais importante que o conteúdo e o método de estudo é que a criança perceba como esse hábito vai ajudá-la em longo prazo — não somente a ir bem na escola, mas em todas as outras áreas da vida dela.

Mesmo com a rotina corrida, é importante que você participe desses momentos, procurando maneiras de fazer com que o estudo seja o mais proveitoso — e divertido — possível.

3. Não o deixe faltar às aulas

Toda mãe já passou pela seguinte situação: ao acordar o filho para ele se arrumar e ir para escola, escuta do pequeno que ele não está se sentindo bem e gostaria de ficar em casa.

Isso pode ocorrer por diversos motivos. Se criança não quer ir para a aula apenas em determinados dias da semana, por exemplo, pode significar que naquele dia é dada uma matéria da qual ela não gosta.

A criança também pode estar tendo algum tipo de problema com os coleguinhas ou com algum professor, mas não se sente à vontade para falar a verdade. Nesses casos, é importante estabelecer um diálogo amigável, sem punir o seu filho pela mentira. Pode haver vários outros motivos para esse comportamento — que vão muito além da preguiça — e é importante deixar claro para o seu filho que ele pode confiar em você.

4. Seja paciente ao ajudar seu filho a ir bem na escola 

Ser paciente, nesse caso, significa evitar comentários que incentivem a competição entre seu filho e os colegas da escola ou reforçar com frequência a importância de notas altas no boletim.

Tenha em mente que muitas habilidades são desenvolvidas durante a infância e que celebrar apenas as notas em detrimento de outras conquistas pode ser prejudicial para as crianças.

Isso não significa que você deve parar de acompanhar o boletim do seu filho, mas sim saber que seu desenvolvimento vai muito além das notas e pode ser observado por meio de outros aspectos.

5. Frequente as reuniões escolares 

Não deixe para frequentar reuniões escolares apenas quando seu filho apresentar problemas no desempenho escolar. Lembre-se de que prevenir é melhor que remediar, portanto, converse sempre com os professores e se interesse pelo que eles têm a dizer.

A reunião escolar também é um ótimo momento para conhecer características que seu pequeno não mostra em casa. Você pode descobrir, por exemplo, como ele se relaciona com os coleguinhas, quais são os traços mais fortes de sua personalidade, quais são suas matérias favoritas e quais são os métodos de ensino que dão mais certo com ele. Não perca essa chance!

6. Converse sobre as notas 

Como mencionamos previamente, as notas não devem ser o único meio de análise do desenvolvimento de uma criança. Não dá para negar, entretanto, que elas sempre serão uma parte importante do desempenho escolar, já que são os únicos parâmetros analisados em provas como o vestibular, por exemplo.

Por isso, faça seu melhor para deixar a criança à vontade para contar tudo. Não torne a entrega do boletim um momento pesado, de repreensão. Caso haja alguma nota abaixo da média, é importante dizer, por exemplo:

— Tudo bem, filho. Vi que você está tendo dificuldades com matemática. Como podemos melhorar isso juntos?

7. Procure alternativas para superar as dificuldades 

Caso perceba que seu filho está apresentando um desempenho abaixo da média, é importante pensar em alternativas para ajudá-lo a se restabelecer. Nesse ponto, é importante pensar nos seguintes aspectos: meu filho está com dificuldades em apenas uma matéria ou em todas? Ele está se desenvolvendo mais lentamente apenas na escola ou em outros aspectos fora do ambiente escolar?

No primeiro caso, você pode pensar em contratar um professor particular de determinada matéria, conversar com o professor da escola para tentar outros métodos de ensino etc. Também é importante analisar se a criança está na série escolar certa para a sua idade — o que pode ser necessário em casos de dificuldade geral, em todas as matérias.

Já para o último cenário, você pode contar com a ajuda de profissionais especializados em desenvolvimento infantil, como psicólogos e pedagogos.

O importante é saber que, quando se trata de educação infantil, não existem regras. O que realmente importa é a sua relação com seu filho, que deve ser de confiança e carinho. Crianças que se sentem apoiadas pelos pais se tornam adultos mais confiantes e independentes, e é isso que todo pai quer, não é?

Gostou de saber um pouco mais sobre como você pode ajudar seu filho a ir bem na escola? Continue aprendendo sobre educação infantil e uma tendência que chegou para ficar: a gamificação do ensino!

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email