Mapa do Brasil sob onda de calor. Crédito de imagem: Inpe

Na semana do dia 12 de março, uma nova onda de calor atingiu, principalmente, as regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul do Brasil. Capitais como São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG) chegaram a registrar temperaturas de 34 graus Celsius (ºC) no dia 16 de março. No Rio de Janeiro, a sensação térmica bateu um recorde histórico, atingindo 62,3ºC. Segundo o Alerta Rio, essa foi a maior sensação térmica registrada desde 2014, quando o instituto iniciou as medições. Em Araçuaí, cidade de Minas Gerais, os termômetros chegaram a 44,8ºC.

É definido como onda de calor quando as temperaturas alcançam cerca de 5ºC acima da média para determinada estação do ano durante um período de ao menos cinco dias. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a duração do fenômeno é irrelevante; apenas a temperatura acima da média já categoriza uma onda de calor. O mês de março marca a transição do verão para o outono e, por isso, embora o clima ainda seja quente, não se esperava temperaturas muito elevadas.

Segundo o Inmet, a onda classificada como “Perigo potencial” e que englobava os estados do  Rio de Janeiro, parte de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul se encerrou no dia 17. No entanto, os estados devem continuar registrando dias quentes até dia 22, quando as temperaturas voltam a cair. As legendas de “Perigo” e “Grande perigo”, que se estendiam por estados do Sul, também terminaram entre os dias 16 e 17.

Como as ondas de calor se formam? 

Ondas de calor se formam com massas de ar quente e seco e bloqueios atmosféricos (ventos que, uma vez localizados no alto da atmosfera, impedem que outras massas de ar se movimentem), que acabam fazendo com que massas de ar frio não consigam se locomover para além dos oceanos. Assim, o ar quente fica concentrado nessas localizações. O fenômeno ocorre principalmente durante a transição da primavera para o verão. 

No entanto, atualmente, o Brasil também enfrenta o El Niño, fenômeno natural que ocorre no Oceano Pacífico e afeta a temperatura e os padrões de chuva em todas as regiões do mundo. Além disso, mudanças climáticas que vêm impactando todo o mundo também exercem influência no aumento de temperaturas. Saiba mais sobre o assunto na matéria do jornal Joca

Fontes: Inmet, O Globo, CBN e G1.

Ixi! Você bateu no paywall!

Ainda não é assinante? Assine agora e tenha acesso ilimitado ao conteúdo do Joca.

Assinante? Faça Login

Voltar para a home

Ou faça sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo do Joca

Assine

Enquete

Sobre qual assunto você gosta mais de ler no portal do Joca?

Comentários (1)

  • avenues1

    4 semanas atrás

    Otimo lugar para ver noticias

Compartilhar por email

error: Contéudo Protegido