Camren Brantley-Ríos

O estudante americano Camren Brantley-Ríos, de 21 anos, passou um mês comendo apenas insetos.

Foram 30 dias – no café da manhã, almoço e jantar – se alimentando de larvas de farinha e larva de grilos temperados com molho de soja e arroz frito.

Ríos também comia ovos mexidos com larvas, hambúrgueres de insetos com queijo e grilos e até baratas laranja, que podem chegar a 4,5 centímetros de comprimento. Brantley-Ríos tomou essa decisão para experimentar a dieta do futuro que é a base de inseto e foi recomendada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Segundo a organização, mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo comem insetos.

Cookie de larvas

Essa dieta consome menos recursos do planeta do que a dieta convencional (com carne de boi e de porco) e os insetos são uma fonte importante de proteína. Para contar sua experiência, o estudante da Auburn University, no Estado do Alabama, criou o blog ’30 Days of Bugs’ (’30 Dias de Insetos’).

Larvas de grilos

Lá ele diz que durante a preparação ele sentiu um pouco de nojo mas quando provou as larvas, mudou de ideia.

Também contou que comprou os insetos de criadores que fornecem para zoológicos e que não foi à floresta caçar a comida pois isso é muito perigoso.

 

 

Veja alguns comentários de Brantley-Ríos sobre a nova dieta:

 

“Tem que tirar pernas, asas e o escudo da cabeça das baratas. Depois as refoga com temperos, cogumelos e cebola. É um pouco azedo mas não era tão ruim”.

 

“As larvas de bichos-da-seda são ruins e fediam muito”.

 

 

 

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email