Por volta do dia 14, acontecerá a chuva de meteoros Perseidas, a mais intensa do ano. O fenômeno será mais intenso na noite de 13 para 14 de agosto.

A chuva de meteoros tem esse nome porque pode ser observada na constelação de Perseus.

O fenômeno terá seu pico de atividade na madrugada do dia 13 para 14, com previsão de caírem mais de 100 meteoros por hora.

“A chuva de meteoros ocorre quando a Terra cruza a órbita de um cometa ou asteroide e pequenas partículas perdidas destes, chamadas meteoroides, entram com alta velocidade na atmosfera do planeta. Essas partículas esquentam e incandescem devido ao atrito, se tornando visíveis, formando a chuva de meteoros” explica o coordenador do Curso de Mestrado em Astrofísica da Universidade Cruzeiro do Sul, Gustavo Amaral Lanfranchi.

A chuva é visível a olho nu, porém é necessário estar em um local com céu limpo para enxergá-la.

Fenômenos regulares, as chuvas acontecem diversas vezes por ano, sendo as de Leônidas e Perseidas as mais conhecidas. Para os astrofísicos, o evento faz parte do cotidiano, sendo um entre os vários acontecimentos da astronomia.

 

Enquete

O que você está mais curtindo fazer durante o período em casa, por causa do novo coronavírus?

Comentários (0)

Compartilhar por email