A foto de Alan Kurdi, o sírio de 3 anos que morreu numa praia da Turquia ao tentar atravessar o mar Mediterrâneo para fugir para a Europa, comoveu o planeta. A imagem virou símbolo da pior crise de refugiados da história e fez o mundo se unir.

A Europa têm recebido um grande número de pessoas da Síria, Iraque, Afeganistão, Sudão e Nigéria que fogem da guerra ou de más condições de vida. Eles enfrentam viagens demoradas, perigosas, caras e chegam na Europa sem dinheiro, casa, trabalho e família.

Desde 2014 mais de 60 milhões de pessoas abandonaram suas casas.

Soluções reais

Enquanto os países discutem como abrigar os milhões de refugiados, cidadãos criaram formas de ajudá-los:

* Mais 14 mil islandeses abriram suas casas para receber refugiados, doando, inclusive, dinheiro e roupas. * Alemães criam o Flüchtlinge Willkommen (Bem-vindos, Refugiados, em alemão), um site que oferece casas para os asilados dormirem.

* Austríacos e alemães se unem e fazem um comboio com 140 carros para dar carona aos refugiados que estão nas estradas húngaras

*A população alemã recebe refugiados aplausos, cartazes de boas-vindas, água e comida

*Ingleses criam abaixo-assinado com mais de 100 mil assinaturas pedindo para o governo ajudar.

*O ex-presidente do Uruguai, José Mujica irá abrigar 100 crianças refugiadas que ficaram órfãs

* O bilionário turco Hamdi Ulukaya, dono da marca Chobani, que faz iogurte, doa metade de sua fortuna de R$ 5,44 bilhões para ONGs que ajudam refugiados

Países e organizações

A Alemanha deve receber 800 mil refugiados neste ano, o que irá custar 6 bilhões de euros ao país. A primeira-ministra alemã Angela Merkel, disse que os imigrantes vão mudar o país e cobrou solidariedade dos governos. A ONU pediu para a Europa abrigar 200 mil refugiados e o papa Francisco pediu para igrejas, comunidades, mosteiros e santuários católicos hospedem os imigrantes.

Empresas também ajudam

O Ebay tem uma ferramenta para doar parte do dinheiro da venda de um produto aos refugiados. A Amazon entrega gratuitamente produtos comprados para os campos de refugiados. O Bayern, time de futebol de Munique, doou R$ 4,22 milhões e montou um acampamento para os imigrantes terem alimentação, aulas de alemão e equipamento esportivo.

Por aqui


No Brasil há mais de 7 mil refugiados reconhecidos, de 81 nacionalidades. Vários se uniram para criar uma música para acabar com o preconceito e agradecer o abrigo no país. Na canção, com participação de 50 refugiados de 12 países, cantando em vários idiomas como árabe, urdo, iorubá, espanhol eles contam por que saíram de seus países. O projeto é da ACNUR, Agência da ONU para Refugiados, e foi escolhido para ser executado no mundo inteiro.

Ouça a música no Portal Joca

E veja o making off:

Fonte: Acnur, Caritas Arquidocesana e CONARE

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email