Tubo de aço foi utilizado para transportar os homens em meio aos escombros. Crédito de imagem: reprodução de X

No dia 28 de novembro, 41 trabalhadores que estavam presos em um túnel que desmoronou em Uttarakhand, na Índia, foram resgatados. Eles permaneceram isolados por 17 dias a mais de 60 metros abaixo do solo. O acidente aconteceu na manhã de 12 de novembro, quando a construção do acesso, que pretendia ligar diferentes templos no Himalaia (cadeia de montanhas na Ásia), despencou.

A obra para o túnel faz parte de um projeto do governo indiano para criar uma rota de peregrinação hindu (relacionada à religião do hinduísmo) e se estendia por um trecho de 5 quilômetros. Antes do acidente, especialistas haviam alertado que a área de construção é perigosa e propícia a deslizamentos de terra.

Durante os 17 dias em que ficaram presos, os trabalhadores receberam comida, oxigênio, água e outros suprimentos por um tubo estreito, passado entre os escombros. Para o resgate, outro tubo de aço de 90 centímetros de diâmetro (medida entre dois pontos de uma esfera) foi colocado no solo após a equipe de resgate abrir passagem entre barras de metal e rochas com uma furadeira. 

O resgate

A retirada dos trabalhadores sofreu atrasos pela dificuldade para atravessar os pedaços de metal que se acumularam em meio aos escombros. No dia 18, a operação chegou a ser interrompida momentaneamente pelo risco de que houvesse um novo desmoronamento no túnel. Depois, no dia 24, uma das máquinas utilizadas para adentrar o solo quebrou, levando o grupo de resgate a continuar a escavação de maneira manual.

Para concluir a operação, foi utilizada a técnica de mineração manual, já que a escavação sem equipamentos era a opção mais viável conforme o túnel se estreitava. Já no tubo de aço, os trabalhadores foram colocados em macas para serem levados à superfície. Do lado de fora, ambulâncias e equipes médicas aguardavam os homens resgatados para os primeiros atendimentos.

A operação de resgate dos 41 homens presos abaixo do solo durou 17 dias. Crédito de imagem: reprodução de X

Segundo a imprensa local, nenhum dos trabalhadores presos ficou ferido. Agora, eles passarão por uma série de exames para avaliar suas condições de saúde.

Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia, agradeceu os esforços da equipe de resgate em uma publicação na rede social X: “​​Quero dizer aos amigos que ficaram presos no túnel que sua coragem e sua paciência estão inspirando todo mundo. Desejo a todos tudo de bom e muita saúde. Também saúdo o espírito de todas as pessoas associadas a essa operação de resgate. Sua bravura e determinação deu nova vida aos nossos irmãos trabalhadores. Todos os envolvidos nessa missão deram um exemplo incrível de humanidade e trabalho em equipe”.

De acordo com o jornal The Times of India, o governo indiano agora irá focar a atenção em entender os motivos que causaram o acidente e como prosseguir com a obra de interligação das rotas de peregrinação e templos com segurança. O projeto pretende criar uma grande rodovia, chamada Char Dham, para conectar quatro pontos de peregrinação em 889 quilômetros de estrada.

Antes do acidente, a obra já havia sido criticada por especialistas ambientais e causado danos para casas ao redor do trecho em que o governo busca criar a nova rodovia.

Fontes: BBC, G1, Folha de S.Paulo, CNN, The Times of India, The Guardian e publicação de Narendra Modi no X.

Ixi! Você bateu no paywall!

Ainda não é assinante? Assine agora e tenha acesso ilimitado ao conteúdo do Joca.

Assinante? Faça Login

Voltar para a home

Ou faça sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo do Joca

Assine

Enquete

Sobre qual assunto você gosta mais de ler no portal do Joca?

Comentários (1)

  • Carla Mauro

    2 meses atrás

    Foi muito legal saber disso!

Compartilhar por email

error: Contéudo Protegido