Catarina L. de G., 10 anos

Essa dúvida veio de uma de nossas leitoras e nos leva a pensar sobre a importância de nos planejar financeiramente, economizar nosso dinheiro, escolher formas para fazer esse dinheiro crescer e, assim, alcançar nossos maiores sonhos.

É possível que alguém com R$ 300 alcance R$ 5 mil em um curto ou médio período de tempo? Como um bom economista, minha resposta é: depende. Depende, por exemplo, de onde vem o recurso para conquistar seu objetivo.

Se o valor vier de uma mesada, por exemplo, basta ir separando o máximo que conseguir até que alcance os R$ 5 mil desejados. Isso irá ajudá-lo a ficar cada vez mais consciente dos seus gastos, evitar desperdícios e poupar sempre — regras básicas da educação financeira.

Você também pode separar objetos que não usa mais, como brinquedos e roupas, e tentar vender para levantar algum dinheiro extra. Mas podemos ir um pouco além para acelerar esse processo. Você pode dispor de uma ajuda extra. Essa ajuda adicional viria da rentabilidade dos seus investimentos.

Como assim?

Se você juntar o dinheiro e guardar em uma caixa de sapato, ele não vai crescer sozinho. Mas se optar por investir no banco, ele pode crescer mesmo que não coloque um centavo a mais.

Quer saber como isso funciona? Podemos comparar o investimento com plantar e cuidar de uma árvore. A partir do momento que você plantou a sua árvore, basta regar com frequência, adubar vez ou outra, enfim, tomar todos os cuidados para que essa árvore cresça de forma saudável, gerando frutos lá na frente.

Os investimentos funcionam de forma parecida. Você tem um dinheiro e o coloca no banco. Então, observa, coloca mais um pouquinho, até que o valor do início comece a gerar frutos ou “novos dinheiros”.

Mas você deve estar se perguntando: por que o dinheiro que coloco no banco cresce, mesmo que eu não ponha mais nada ali? Quando você faz algum tipo de investimento, normalmente está emprestando dinheiro a outra pessoa que fará uso desse recurso e, em seguida, devolverá a você a mesma quantia acrescida de um valor, como forma de recompensa. Essa recompensa são os juros.

É certo que, na prática, você não vê a pessoa que está tomando o dinheiro emprestado. Quem faz isso são os bancos, que acabam ficando com uma parte dessa recompensa.

Na próxima coluna vamos falar sobre qual seria uma opção de investimento para aqueles que estão começando nessa jornada. Um grande abraço e até a próxima!

Marcelo-Coluna-Financas
#pracegover: Marcelo usa camisa cinza e sorri para a foto. Ele segura uma caneta com a mão direita. Ao fundo, uma parede vermelha. Imagem: divulgação.

Marcelo Siqueira
Planejador financeiro certificado CFP®, formado em economia com pós-graduação em mercado de capitais pela FEA-Fipe. Auxilia famílias e pessoas na condução e otimização de recursos, no planejamento e conquista de sonhos e na construção de patrimônio. marcelo.siqueira@futurarplan.com.br.

Tem outras dúvidas sobre dinheiro e finanças? Mande-as para a gente no e-mail: joca@magiadeler.com.br. Estou pronto para ajudá-lo

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 135 do jornal Joca.

Enquete

Qual tem sido a sua diversão preferida durante o isolamento social?

Comentários (0)

Compartilhar por email