Kimonos são peças típicas da tradição japonesa.

As roupas sempre tiveram enorme importância na cultura japonesa. Antes do século VIII, os japoneses inspiravam-se nas vestes chinesas. Aliás, os chineses, até o século X, eram considerados um modelo de civilização para todo o continente asiático e, portanto, eram muito copiados pelas outras culturas.

Kimonos são peças típicas da tradição japonesa.

Quando as relações diplomáticas entre Japão e China se abalaram, no ano 894, os japoneses passaram a valorizar a arte, a arquitetura e a cultura local. Isso acabou influenciando diretamente na moda do país.

Novos tecidos, modelos e texturas passaram a ser incorporados às roupas. Tons mais pastéis, tecidos nobres como a seda, o cetim e o brocado representam a leveza e a delicadeza da cultura japonesa.

Provavelmente, a roupa japonesa mais conhecida no mundo é o kimono. Homens e mulheres de classe social mais alta têm como tradição secular o hábito de usar kimonos longos (geralmente cobrem do pescoço às canelas), cortados em forma de T e com mangas amplas que escondem, nas mulheres, até as pontas dos dedos.

As pessoas de setores mais baixos da sociedade usavam – e usam até hoje – kimonos um pouco mais curtos, com mangas com comprimento mais prático a fim de tornar possível suas atividades profissionais. São fixos ao corpo por um cinto de tecido decorativo (chamado de obi). As mulheres amarram o obi sobre a cintura e fazem com ele uma espécie de laço (ohashori). Já o homens amarram o obi abaixo da cintura e fazem uma espécie de pala grossa.

Yukatas são muito usadas no verão.

Yukatas são vestes semelhantes ao kimono, mas geralmente usados pelas mulheres no verão. Por serem mais baratos, tornaram-se bastante populares, além de mais ousadas com diferentes cores e estampas. Atualmente, homens jovens e modernos, em razão do calor, adotaram os yukatas em ocasiões informais.

Apesar das diferenças, tanto kimonos como yukatas seguem uma regra super importante: a lapela esquerda deve ser amarrada sobreposta à direita. Vesti-los de forma errada pode ser considerado ofensivo, já que os mortos é que vestem kimonos com as lapelas invertidas.

Nos pés, tanto homens quanto mulheres vestem “geta”, espécie de sandália casual com tira entre os dedos mas com sola elevada de madeira. São especialmente usadas no inverno e em dias de chuva, para manter os pés longe do chão. São tão comuns quanto o tênis para os ocidentais.

A geta possui uma plataforma de madeira.

Outro calçado muito famoso é o “Zori”, uma sandália tradicional, usada em ocasiões formais. Assim como a geta, conta com plataforma de madeira e tira entre os dedos.

Enfim, o tempo passou e novas adaptações foram incorporadas ao guarda-roupa dos japoneses. No entanto, as tradições e os valores sociais têm resistido, mas os hábitos rotineiros vêm dividindo as gerações. Em geral, os jovens de agora gostam de se vestir de forma mais “ocidentalizada” e os kimonos e getas tradicionais passaram a ser usados apenas em ocasiões festivas e em eventos tradicionais e familiares.

Na próxima coluna viajaremos ao Oriente Médio para descobrir e conhecer a história e as tradições do seu vestuário. Não percam!

Quem é Gabi Rossi?

Apaixonada por moda e tudo o que se refere a estilo, Gabi é mãe do Pipo, criadora de estampas e dona de 2 perfis de moda no Instagram: o @duvidasnocabide e o @gabirrossi09.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (4)

  • EE Henrique Dumont Villares

    4 anos atrás

    achei legal pois

  • Sophia Rodrigues Serra

    4 anos atrás

    Adoramos Tia Gabi! Esperando para conhecer mais sobre o Oriente Médio. Beijos Sophie & Cat

  • Luisa Cezare de Carvalho Santos

    4 anos atrás

    Muito legal .

  • Blop

    4 anos atrás

    Adorei a reportagem, nunca tinha pensado nisso. fico me perguntando será que o zori machuca o pé , pois afinal ele é de madeira !

Compartilhar por email