Um recente tens˜ao entre Rússia e Ucrânia, países que fazem divisa na Europa, tem chamado a atenção do mundo todo nos últimos meses. Diversos governos e organizações internacionais estão atentos à possibilidade de um conflito entre essas nações. A relação entre os países é antiga, e este não é o primeiro evento tenso entre eles. A seguir, entenda os principais pontos do que está ocorrendo agora e conheça o histórico entre russos e ucranianos.

soldado ucraniano 181
Em dezembro de 2021, soldado ucraniano usa um periscópio portátil (instrumento utilizado para captar imagens) para visualizar forças lideradas pela Rússia na fronteira com a Ucrânia / #pracegover: soldado ucraniano dentro de trincheira segurando um periscópio. Ele está de costas e usa roupa com camuflagem em tons de verde. Crédito de imagem: BRENDAN HOFFMAN_GETTY IMAGES

O que está acontecendo neste momento?
A Rússia enviou mais de 100 mil soldados para a fronteira com a Ucrânia. Isso pode ser um sinal de que o governo russo planeja uma invasão ao país. Na história recente, algo parecido aconteceu em 2014, quando forças russas tomaram o controle de uma área que era da Ucrânia, chamada Crimeia.

Apesar de negar que pretendem invadir a Ucrânia, os russos dizem estar preocupados com a própria segurança pela possibilidade de que o vizinho se junte à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). O grupo é uma aliança militar que reúne 30 países, incluindo Estados Unidos e Reino Unido, que ajudam uns aos outros em caso de ataques armados, como guerras.

Em dezembro, o governo russo apresentou uma série de exigências para amenizar a tensão, entre elas de que a Ucrânia se comprometa a não entrar para a Otan. “A Otan vem incorporando uma série de países do antigo bloco socialista [que formavam a União Soviética – URSS], aproximando-se cada vez mais das fronteiras russas. Moscou [capital russa] enxerga esse processo como uma ameaça. Um possível ingresso da Ucrânia na Otan representaria, talvez, a principal ameaça à segurança e às aspirações da Rússia de recuperar sua posição de protagonismo regional e global”, explica Cesar Albuquerque, doutorando em história social pela Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador do Laboratório de Estudos da Ásia (LEA-USP).

Vicente Ferraro, cientista político e pesquisador do LEA-USP, complementa: “Vladimir Putin [presidente russo] considera a Otan um instrumento político-militar dos EUA, uma tentativa de criar um ‘cordão’ militar de isolamento em torno da Rússia”.

O governo da Ucrânia pediu, em 30 de janeiro, que os russos retirem as tropas da fronteira e mantenham uma conversa aberta com os países ocidentais para que a tensão seja diminuída.

Países integrantes da OTAN: Albânia, Alemanha, Bélgica, Bulgária, Canadá, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Estônia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia do Norte, Montenegro, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia e Turquia.

Como é a relação entre Rússia e Ucrânia?
Russos e ucranianos têm uma relação próxima, principalmente nas questões sociais e culturais — muitos russos vivem na Ucrânia, onde o idioma russo também é bastante falado. Putin já afirmou que ambos são um só povo.

“Eles compartilham de uma mesma origem comum. Ainda no século 9, esses povos formaram um estado medieval, conhecido como Rus Kievana. Ao longo da história, essas etnias foram se diferenciando, criando os povos que hoje conhecemos como russos, ucranianos e bielorrussos”, conta Cesar. Além disso, ambos faziam parte da URSS.

Atualmente, uma parcela dos ucranianos deseja que o país tenha relações mais próximas com a União Europeia (UE), enquanto outra parte acredita ser melhor se aproximar ainda mais da Rússia. No fim de 2013, o lado pró-Rússia evitou que a Ucrânia fizesse um acordo com a UE, o que gerou uma crise política.

O que pode acontecer se a Rússia invadir a Ucrânia?
Os EUA já disseram que vão ajudar a defender o território ucraniano, enviaram armamentos para o país e 3 mil soldados para a região do Leste Europeu. Além do que pode ocorrer dentro do território ucraniano em caso de invasão, nações do mundo ocidental poderiam impor sanções econômicas à Rússia. Uma delas é desconectar o sistema bancário russo de um mecanismo chamado Swift, sistema de identificação de transações financeiras que conecta bancos do mundo todo.

Vicente destaca outra sanção que poderia ser imposta: “O fornecimento do gás russo à Europa e Ucrânia poderia ser diminuído ou interrompido, prejudicando o abastecimento energético de diversos países e, ao mesmo tempo, os rendimentos russos”.

No dia 31 de janeiro, a pedido dos EUA, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniu para conversar sobre a questão. Durante o encontro, Rússia e EUA trocaram acusações. O representante da Ucrânia afirmou que o país está pronto para se defender.

Glossário
União Soviética (URSS): a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas existiu entre 1922 e 1991 como uma das nações mais poderosas do mundo. Em parte desse período, disputou poder militar e econômico com os EUA. Deu origem a países independentes, como Rússia e Ucrânia.

Fontes: BBC, CNN, Época, Exame, Fantástico, Kiwi Kids e G1.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 181 do jornal Joca.

Enquete

Sobre qual assunto você gosta mais de ler no portal do Joca?

Comentários (1)

  • NOme

    1 ano atrás

    Só faltou explicar que a OTAN não é só um acordo de defesa e depois do fim da Guerra Fria fez uma série de ataques preemptivos.

Compartilhar por email

error: Contéudo Protegido