Arqueóloga Luz María Escobedo mostra foto do local

Arqueólogos do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México descobriram restos de uma residência de Colhuacatonco, um bairro nobre que foi ocupado há centenas de anos por astecas e que ficou conhecido por sua população que lutou bravamente contra a invasão dos espanhóis.

Cerimônias de enterros resistiram ao tempo e a conquista espanhola. (Foto: Maria de la Luz Escobedo, INAH)

A casa foi encontrada em pleno centro histórico da Cidade do México, capital do país. No local, foram achados diversos esqueletos quase completos. De acordo com o Instituto, os nobres astecas foram enterrados ali para salvar seus costumes e a cultura da conquista espanhola.

Nas sepulturas, foram encontradas estatuetas e outras cerâmicas da época, que serviam como oferendas.

“É muito provável que os descendentes de primeira ou segunda geração tenham feito enterros secretos de sete indivíduos (três adultos e quatro crianças, de entre 1 a 8 anos) usando os costumes dos seus antepassados”, explica a arqueóloga responsável pela descoberta, María de la Luz Escobedo.

Foram encontrados também alguns objetos que comprovam uma mistura cultural entre os astecas e os espanhóis, como apitos em forma de aves, assim como a representação de freiras, uma referência à influência da religião católica.

Segundo os arqueólogos, é possível saber que a residência pertencia a nobres por ser feita de7 pedra, exclusividade dos indivíduos mais importantes da sociedade na época.

De acordo com os especialistas, a descoberta comprova que a resistência do bairro à conquista espanhola foi passiva após a queda de Tenochtitlan, sede do império asteca na época.

Teotihuacan, antiga capital do Império Asteca

O povo asteca se estabeleceu onde hoje é a Cidade do México, às margens do lago Texcoco, em meados do século XIV, quando foi fundada a capital de todo o império, chamada de Tenochtitlán.

A civilização expandiu até o meio do território mexicano ao norte, e ao sul chegou a fazer fronteira com os maias.

O império durou até o século XVI, quando a chegada do conquistador Fernando Cortés e centenas de soldados espanhóis dizimaram grande parte da população a partir de 1519.

A civilização asteca derivou do povo tolteca e do povo chichimeca, entre outras tribos mais antigas. E a escolha do local para a fundação de Tenochtitlán merece atenção especial.

Tenochtitlan

 

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • Luís Otavio Paranho Veloso

    1 ano atrás

    Gostei de saber disso além de muitas coisas interessantes o povo asteca é bem vamos dizer...valioso não é mesmo?

Compartilhar por email