Abiy Ahmed, Primeiro Ministro da Etiópia, é o vencedor do Nobel da Paz de 2019. Foto: Mahmoud Hjaj/Anadolu Agency via Getty Images
Abiy Ahmed, Primeiro Ministro da Etiópia, é o vencedor do Nobel da Paz de 2019. Foto: Mahmoud Hjaj/Anadolu Agency via Getty Images
Abiy Ahmed, primeiro-ministro da Etiópia, é o vencedor do Nobel da Paz de 2019. Foto: Mahmoud Hjaj/Anadolu Agency via Getty Images

A centésima edição do Nobel da Paz premiou o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, de 43 anos, no dia 11 de outubro, por firmar um acordo de paz entre seu país e a Eritreia. As duas nações estavam em guerra há mais de 20 anos e, graças às negociações do líder com o presidente da Eritreia, Isaías Afwerki, os dois concordaram em assinar um acordo em 16 de setembro de 2018, na Arábia Saudita.

Entenda o conflito 

Em 1998, a Etiópia e a Eritreia começaram uma guerra por causa da fronteira que dividiam. Enquanto os etíopes eram acusados de mudar a linha da fronteira para ganhar mil quilômetros a mais de terra, eles acusavam os eritreus de invadir a cidade de Badme, na Etiópia. A guerra foi o jeito que encontraram para tentar definir seus territórios. 

O conflito resultou em 80 mil mortes, e a Organização das Nações Unidas (ONU) passou a supervisionar uma faixa da fronteira para evitar ataques de ambos os lados. 

Em junho de 2018, Abiy anunciou que estava disposto a discutir um acordo de paz com a Eritreia. O presidente eritreu concordou em encontrá-lo em 8 de julho e, no dia seguinte, os líderes decidiram assinar uma declaração que dava fim à guerra. Em 16 de setembro, os dois países assinaram o acordo de paz.

Nobel da Literatura

Peter Handke, vencedor do Nobel de Literatura de 2019. Foto: Daniel Maurer/picture alliance via Getty Images
Peter Handke, vencedor do Nobel de Literatura de 2019. Foto: Daniel Maurer/picture alliance via Getty Images

Um dia antes de divulgar o vencedor do Nobel da Paz, a organização do evento anunciou o ganhador do prêmio de literatura. O homenageado foi o austríaco Peter Handke, um dos autores do roteiro do filme Asas do Desejo, de 1987. De acordo com a Academia Sueca, organização que escolhe quem ganha o prêmio, o autor foi selecionado por ter feito um trabalho influente, que explorou as experiências da vida humana.

Olga Tokarczuk, vencedora do Nobel de Literatura de 2018. Foto: Friso Gentsch/picture alliance via Getty Images
Olga Tokarczuk, vencedora do Nobel de Literatura de 2018. Foto: Friso Gentsch/picture alliance via Getty Images

Como não houve premiação do Nobel da Literatura no ano passado, o prêmio da edição de 2018 também foi entregue em 10 de outubro deste ano. A vencedora foi a polonesa Olga Tokarczuk, psicóloga que escreve livros de ficção (histórias que não são reais) e poemas. De acordo com a organização, o livro da autora que merece atenção especial é Prawiek i Inne Czasy (Primitivo e Outros Tempos, em português), escrito em 1996, por ser um excelente exemplo da literatura polonesa no período.

Fontes: G1, G1, Estadão e O Tempo

Enquete

Qual é o acontecimento mais esperado de 2020?

Comentários (0)

Compartilhar por email