Os administradores das salas de cinema da cidade do Rio de Janeiro avisaram, em comunicado de 11 de setembro, que continuariam fechados, apesar de a prefeitura ter permitido a reabertura de espaços culturais, como cinemas e teatros, a partir do dia 14. Segundo o Sindicato das Empresas Exibidoras Cinematográficas do Rio de Janeiro, a decisão foi tomada em consequência da proibição da venda de comidas e bebidas nos cinemas. As salas estão fechadas desde março por causa do novo coronavírus.

A prefeitura diz que a proibição diminui as chances de os frequentadores serem infectados pelo vírus. Segundo as empresas de cinema, porém, sem a venda de bebidas e comidas não é possível arrecadar dinheiro suficiente para pagar os funcionários e a operação das salas.

Na visão das empresas, não haveria riscos: “(…) os clientes estarão sentados com distanciamento social garantido em um ambiente cujo ar-condicionado promove renovação de ar contínua”, afirma o comunicado. A prefeitura declarou que a venda nas salas só será liberada após avaliação de seu comitê científico.

Algumas cidades já reabriram cinemas, como Brasília (DF), Manaus (AM) e Salvador (BA).

Glossário
Sindicato:
entidade que representa e defende os interesses dos associados. Exemplo: sindicado dos professores.

Fontes: Agência Brasil, Dicionário Michaelis, G1, governo do Distrito Federal, Prefeitura de Salvador, Prefeitura do Rio de Janeiro e O Globo.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 157 do jornal Joca.

Enquete

Como você está participando dos 10 anos do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email