O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque que aconteceu em Londres, nesta quarta-feira (22).

O ataque matou cinco pessoas e deixou outras 40 feridas depois que um carro atropelou os pedestres que caminhavam pela ponte Westminster, que cruza o rio Tâmisa e que fica perto do Big Ben.

Ponte Westminster cruza o Rio Tâmisa e leva ao Parlamento, ao lado do famoso Big Ben

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou que o MI5 (Security Service ou Serviço de Segurança) já tinha investigado o autor do ataque em Westminster, em Londres, por ele ser ligado a atividades terroristas. O governo ainda não divulgou o nome dele, só se sabe que ele era britânico.

A Scotland Yard, Polícia Metropolitana de Londres, confirmou que oito pessoas foram presas em Londres, Birmingham e outras regiões do Reino Unido por suspeita de ligação ao ataque.

FERIDOS

Entre as pessoas que morreram está o agressor, que esfaqueou um policial perto do Parlamento do Reino Unido (foto acima).

Na manhã desta quinta (23), ainda haviam 29 pessoas hospitalizadas, sendo sete em estado grave.

Entre os feridos há 12 britânicos e vários estrangeiros: dois romenos, quatro sul-coreanos, um alemão, um chinês, dois gregos e crianças francesas.

ATAQUES NA EUROPA

A Europa tem sido alvo de ataques terroristas nos últimos anos mas Londres não sofria com atentados desde julho de 2005, quando várias bombas explodiram em três trens do metrô e em um ônibus, deixando 700 feridos e mais de 50 mortos.

Na época, a rede terrorista Al Qaeda, liderada por Osaba Bin Laden, reivindicou os ataques e disse que foi para alertar a Grã-Bretanha e os Estados Unidos, que se uniram para combater os terroristas no Iraque e no Afeganistão.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email