#PraCegoVer: uma jovem de camiseta azul e calça jeans usa fones de ouvidos e dança enquanto segura seu celular. Ela dança, fazendo movimentos com o corpo e os cabelos. O fundo é amarelo.

Após ter descoberto que mais de um bilhão de jovens no mundo entre 12 e 35 anos correm o risco de desenvolver problemas de audição, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, no início de fevereiro, novas recomendações para a indústria de eletrônicos. O objetivo das medidas é fazer com que aparelhos que reproduzem música, por exemplo, gerem menos danos à audição — a principal origem dos problemas auditivos está no hábito de escutar música em volumes muito altos por longos períodos.

A OMS passou a recomendar que as empresas instalem um software nos equipamentos eletrônicos para calcular o quanto cada usuário está exposto a riscos com base no que escuta. A ferramenta seria semelhante ao velocímetro, usado em carros para medir a velocidade do automóvel. Desse modo, seria possível saber quando o volume está além do limite seguro.

Outra recomendação da organização é que as companhias passem a incluir nos aparelhos a opção de um limite automático de volume — e a possibilidade de os pais controlarem a função por meio de aplicativos.

Fontes: Época Negócios, KidsNews e ONU News.

Notícia publicada originalmente na edição 128 do jornal Joca.

Enquete

Qual é o acontecimento mais esperado de 2020?

Comentários (0)

Compartilhar por email