Manifestação na Paulista pede o impeachment do presidente Temer

Depois que os jornais divulgaram que os donos da JBS gravaram o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves envolvidos em corrupção, alguns protestos pedindo a saída de Michel Temer da Presidência ocorreram em diversas cidades do país.

As manifestações foram organizadas pelas redes sociais.

Parlamentares também pediram o impeachment ou a renúncia de Temer.

Pela Constituição, tanto na renúncia quanto no impeachment, novas eleições devem ser realizadas.

Caso o presidente seja afastado ou renuncie, a eleição seria indireta, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumiria o cargo.

Mas, muitos especialistas afirmam que a Constituição não especifica direito o que deve acontecer daqui para frente.

O que acontece se Michel Temer cair?
Faltando dois anos para o fim do mandato, a Constituição prevê eleição indireta, aquela que não é votada pelo povo e sim pelos políticos (veja abaixo). Devem ser eleitos, o novo presidente e o novo vice-presidente da República.

Quem assumiria a Presidência?
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em seguida o do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e a do STF, Cármen Lúcia. Maia tem 30 dias para convocar uma eleição indireta.

Os novos presidentes seriam eleitos para mandatos que também terminariam no dia 1º de janeiro de 2019, cumprindo o término do período para o qual foram eleitos, em 2014, Dilma Rousseff e Michel Temer.

Quem elegeria o novo presidente?
Os 513 deputados e 81 senadores, com voto aberto.

Quem poderia se candidatar?
A Constituição não especifica, mas há regras s serem seguida: tem que ser brasileiro, ter 35 anos ou mais e ser filiado a um partido.

E o povo votar, é possível?
Seria preciso aprovar uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para alterar as leis.

Enquete

Como você prefere estudar enquanto está em casa?

Comentários (1)

  • Paula

    3 anos atrás

    ?

Compartilhar por email