Oi! Somos alunos do 5º. ano do Colégio Pentágono/Morumbi e entrevistamos, por videoconferência, Ilan Brenman, um dos maiores autores de livros infantis do Brasil, ganhador de diversos prêmios e traduzido em vários países. Nós nos preparamos para o encontro virtual ouvindo histórias do autor, fazendo pesquisas a seu respeito e elaborando perguntas.

Ilan Brenman é um dos mais importantes autores de livros infantis do Brasil, ganhador de diversos prêmios e traduzido em vários países. Nasceu em Israel, em 1973, mas veio para o Brasil em 1979. Desde 1997 já publicou mais de 60 livros infantis e juvenis. Ao longo de 20 anos, Ilan montou um acervo de cerca de 4 mil livros infantis em casa.

Alunos do Colégio Pentágono/Morumbi e Ilan Brenman

Qual era o seu brinquedo favorito na infância? O que mais gostava de fazer nessa época? – Rodrigo/Samuel
Adorava minha coleção de animais em miniatura, fazia grandes aventuras com eles.

Que tipo de livros você costumava ler na infância? – Amanda
O meu preferido foi o Zero Zero Alpiste, de Mirna Pinsky. Lia também livros de Ruth Rocha, Ana Maria Machado, Eliardo e Mary França, entre outros.

O que você mais gosta de fazer: ler, escrever ou contar histórias? – Julia
Adoro fazer tudo isso!

Quem faz as ilustrações dos seus livros? Você escolhe ou a editora? – Luanne
São vários parceiros. Eu gosto de indicar meus parceiros, mas as editoras também ajudam muito nesse processo.

Desde 1997, você já publicou mais de 60 livros. Qual deles você mais gostou de escrever? – Guilherme
Gosto de todos eles, sempre pergunto aos leitores de quais livros eles gostam mais.

Você já pensou em transformar seus livros em filmes? – Geórgia
Não. Mas alguns já viraram peça de teatro.

Como é o seu processo da escrita? – Youssef
Eu trabalho com recontos, que são histórias de origem popular, mas escrevo uma literatura ligada ao cotidiano das crianças. Observo muito esse cotidiano, depois levo para o computador e misturo realidade e ficção.

Como você se tornou um dos mais famosos escritores brasileiros? – Enzo
Obrigado pelo elogio, mas não fico pensando nisso. A minha preocupação é fazer livros cada vez mais bonitos (texto e imagem) e que proporcionem ao leitor as mais diferentes sensações e emoções.

Qual a sensação após a escrita de um livro? – Naropa
Maravilhosa.

Você pretende ensinar a suas filhas o que sabe sobre literatura? – Giulia
Acho que elas sabem mais do que eu.

No momento você está produzindo algum livro? – Victor
Sim, mas não vou contar. Gosto sempre de deixar um mistério no ar.

A internet auxilia na divulgação dos seus livros? – Gabriela
Sim, claro.

Você já lançou livros em outros países? – Lucas
México, Espanha, França, Coreia e, em 2014, na Suécia, Dinamarca, Itália e China.

De onde vem a inspiração para escrever histórias? – vários
Hoje, principalmente das minhas filhas.

Você já leu todos os 4 mil livros que tem em seu acervo? – Pedro Augusto
Não, li muitos, mas não os 4 mil.

Estamos escrevendo histórias. Você tem alguma dica para melhorar nossos textos? – Sarah
Sim. A principal dica é ler, ler e… Ler! A leitura ajuda muito o escritor.

Você já teve interesse em ter outra profissão? – Nathan
Sim, trabalhei muitos anos com educação.

Sua religião influencia de alguma maneira seus livros? – Luisa
Não. Mas a cultura judaica está muito presente nos meus livros em forma de humor, acredito que, por meio de histórias bem-humoradas, podemos chegar fundo ao coração do leitor.

Enquete

De qual capa do Joca em 2022 você mais gostou até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email