O Brasil apresentou, em 2019, um aumento de 599% no número de casos notificados de dengue, em comparação ao mesmo período do ano passado. Para chegar a esse número, o Ministério da Saúde comparou duas bases de dados: uma feita pelo órgão entre 30 de dezembro de 2018 e 24 de agosto de 2019 e outra realizada no mesmo período entre 2017 e 2018. Em 2019, foram 1.439.471 registros da doença, contra 205.791 em 2018.

A análise mostrou que os estados mais afetados são Minas Gerais (471.165 ocorrências) e São Paulo (437.047 ocorrências). De acordo com o Ministério da Saúde, há várias explicações para o aumento. Entre elas está o grande volume de chuvas, as altas temperaturas (a fêmea do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, reproduz-se com mais velocidade no calor) e a mudança no sorotipo predominante do vírus que causa a doença.

“Quando falamos de dengue, estamos falando de quatro vírus diferentes (um, dois, três e quatro). Uma pessoa pode ter dengue, no máximo, quatro vezes ao longo da vida [se for contaminada por cada um dos diferentes subtipos]. Cada vez que ela é infectada com um sorotipo de dengue, fica imune para aquele sorotipo para sempre”, explica Denise Valle, pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz. O que acontece atualmente, segundo Denise, é que “depois de mais de dez anos, voltou a circular com mais intensidade no país o sorotipo 2 do vírus da dengue”. Com isso, muitas pessoas que nunca tiveram contato com esse sorotipo — e, por isso, não são imunes a ele (mesmo se tiverem contraído dengue a partir de um dos outros subtipos) — estão ficando doentes.

Mosquito Aede Aegyptis
#pracegover: imagem do mosquito responsável por causar dengue. Ele é preto e tem detalhes em branco ao longo do corpo. Foto: Press/LatinContent via Getty Images.

Em virtude do aumento de casos, neste ano o Ministério da Saúde antecipou a campanha contra o Aedes aegypti. A mobilização geralmente é lançada em novembro, quando o número de registros costuma crescer por causa das chuvas e do calor. Porém, em 2019, a iniciativa foi lançada no dia 12 de setembro. O objetivo é mobilizar a população e as prefeituras a adotar medidas de combate ao mosquito.

Outras doenças

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se reproduz em focos de água parada. Outras doenças também são transmitidas pelo inseto, como zika e chikungunya. Segundo o Ministério da Saúde, elas também avançaram no país, na comparação entre o fim de dezembro de 2018 e agosto de 2019 com o mesmo período anterior:

Zika

2018 – 6.669 casos notificados
2019 – 9.813 casos notificados

Chukungunya

2018 – 76.742 casos notificados
2019 – 110.627 casos notificados

Como combater o Aedes Aegypti?
A melhor forma de evitar as doenças transmitidas pelo mosquito é combater sua reprodução:

– Elimine focos de água parada em pneus e garrafas plásticas, entre outros.
– Mantenha lixeiras bem tampadas.
– Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais.
– Preencha pratos de vasos de plantas com areia.

Prevencao-Dengue
#pracegover: a sequência de imagens mostra os perigos para a proliferação do mosquito da dengue – pneu com água parada, lixo com tampa aberta, pote de água de um gato, vaso de planta. Fotos: Getty Images.

Fontes: Agência Brasil, A gência Nacional de Saúde Suplementar e Ministério da Saúde.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 138 do jornal Joca.

Enquete

O que você acha da volta dos esportes pelo mundo?

Comentários (0)

Compartilhar por email