O Brasil apresentou, em 2019, um aumento de 599% no número de casos notificados de dengue, em comparação ao mesmo período do ano passado. Para chegar a esse número, o Ministério da Saúde comparou duas bases de dados: uma feita pelo órgão entre 30 de dezembro de 2018 e 24 de agosto de 2019 e outra realizada no mesmo período entre 2017 e 2018. Em 2019, foram 1.439.471 registros da doença, contra 205.791 em 2018.

A análise mostrou que os estados mais afetados são Minas Gerais (471.165 ocorrências) e São Paulo (437.047 ocorrências). De acordo com o Ministério da Saúde, há várias explicações para o aumento. Entre elas está o grande volume de chuvas, as altas temperaturas (a fêmea do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, reproduz-se com mais velocidade no calor) e a mudança no sorotipo predominante do vírus que causa a doença.

“Quando falamos de dengue, estamos falando de quatro vírus diferentes (um, dois, três e quatro). Uma pessoa pode ter dengue, no máximo, quatro vezes ao longo da vida [se for contaminada por cada um dos diferentes subtipos]. Cada vez que ela é infectada com um sorotipo de dengue, fica imune para aquele sorotipo para sempre”, explica Denise Valle, pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz. O que acontece atualmente, segundo Denise, é que “depois de mais de dez anos, voltou a circular com mais intensidade no país o sorotipo 2 do vírus da dengue”. Com isso, muitas pessoas que nunca tiveram contato com esse sorotipo — e, por isso, não são imunes a ele (mesmo se tiverem contraído dengue a partir de um dos outros subtipos) — estão ficando doentes.

Mosquito Aede Aegyptis
#pracegover: imagem do mosquito responsável por causar dengue. Ele é preto e tem detalhes em branco ao longo do corpo. Foto: Press/LatinContent via Getty Images.

Em virtude do aumento de casos, neste ano o Ministério da Saúde antecipou a campanha contra o Aedes aegypti. A mobilização geralmente é lançada em novembro, quando o número de registros costuma crescer por causa das chuvas e do calor. Porém, em 2019, a iniciativa foi lançada no dia 12 de setembro. O objetivo é mobilizar a população e as prefeituras a adotar medidas de combate ao mosquito.

Outras doenças

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se reproduz em focos de água parada. Outras doenças também são transmitidas pelo inseto, como zika e chikungunya. Segundo o Ministério da Saúde, elas também avançaram no país, na comparação entre o fim de dezembro de 2018 e agosto de 2019 com o mesmo período anterior:

Zika

2018 – 6.669 casos notificados
2019 – 9.813 casos notificados

Chukungunya

2018 – 76.742 casos notificados
2019 – 110.627 casos notificados

Como combater o Aedes Aegypti?
A melhor forma de evitar as doenças transmitidas pelo mosquito é combater sua reprodução:

– Elimine focos de água parada em pneus e garrafas plásticas, entre outros.
– Mantenha lixeiras bem tampadas.
– Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais.
– Preencha pratos de vasos de plantas com areia.

Prevencao-Dengue
#pracegover: a sequência de imagens mostra os perigos para a proliferação do mosquito da dengue – pneu com água parada, lixo com tampa aberta, pote de água de um gato, vaso de planta. Fotos: Getty Images.

Fontes: Agência Brasil, A gência Nacional de Saúde Suplementar e Ministério da Saúde.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 138 do jornal Joca.

Enquete

De qual capa do Joca em 2022 você mais gostou até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email