Os jovens estão ouvindo música em um volume muito alto alto nos fones de ouvidos.

Um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Otologia (SBO) e pela PROTESTE Associação de Consumidores, em São Paulo, constatou que de 68 jovens, somente 14 ouviam música com volume menor do que 85 dB, considerado seguro para a audição. Para comparar, uma avenida movimentada tem, em média, ruído de 85 dB.

Além disso, 21 destes jovens ouvem música de duas a quatro horas diárias, tempo considerado excessivo para uso dos fones.

Fones de ouvido podem prejudicar a audição dos jovens

Observe nas ruas, nos ônibus, na academia. É muita gente com fones no ouvido escutando música.

Até ai tudo bem, a música é parte essencial de nossa vida, relaxa e faz o tempo passar mais rápido. O problema não está na música e, sim, no volume da melodia que entra por nossos ouvidos.

Qualquer som muito elevado, por tempo prolongado – pode ser um barulho indesejável ou a sua música preferida muito alta, com ou sem fone de ouvido –  gera uma energia sonora que, quando intensa e contínua, lesa a delicada estrutura anatômica auditiva.

O resultado é que pode surgir um zumbido desagradável e/ou perda auditiva progressiva e, o que é pior, irreversível. E isso pode acontecer em qualquer idade, inclusive entre os jovens.

A febre do fone de ouvido vem ocasionando uma triste estatística: é cada vez maior o número de jovens com problemas de audição. A fonoaudióloga Isabela Carvalho, da Telex Soluções Auditivas, alerta:. “A grande preocupação é que a ‘Perda Auditiva Induzida por Níveis de Pressão Sonora Elevados’ (PAINPSE) tem efeito cumulativo.

Evite ouvir música muito alta dentro de casa ou do carro e modere o volume nos fones de ouvido.

De acordo com a especialista, um pequeno problema na audição já é um sinal de alerta. “Quanto maior a frequência a ambientes barulhentos, maiores os riscos. Além disso, na medida em que o volume da música passa dos 100 decibéis, aumenta o risco de uma possível lesão na cóclea – órgão dentro do ouvido responsável pela audição. Nesses casos, o tempo de exposição não deve passar de 30 minutos”, explica a fonoaudióloga da Telex.

Frequências de 80 a 90 decibéis já começam a prejudicar a audição.

No entanto, vivemos em cidades com muitos ruídos, de obras, trânsito, buzinas, metalúrgicas e ainda a música alta direto nos fones de ouvido. São fatores que, em conjunto, podem ser prejudiciais à audição”, conclui a fonoaudióloga da Telex.

Um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) alerta que 360 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de perda auditiva. A entidade considera que a perda de audição relacionada ao ruído musical é a segunda maior causa de surdez no mundo.

Portanto, fique atento ao volume de som a que você expõe seus ouvidos. A perda de audição é irreversível. E depois, para resgatar o prazer de ouvir todo tipo de som, só usando aparelhos auditivos. A boa notícia é que, graças aos avanços da tecnologia, os aparelhos auditivos hoje são minúsculos, como os da Telex, que se acomodam discretamente no ouvido, preservando a vaidade de quem precisa deles para ouvir novas canções pela vida afora.

Fique alerta se você

* Coloca a TV ou o rádio em volume mais alto do que as outras pessoas de seu círculo familiar

* Tem dificuldade em entender conversas com ruídos ao fundo

* Tem dificuldades em acompanhar conversas em grupo

* Sempre pede aos outros para repetirem o que estão falando

* Tem amigos ou familiares que dizem que você não está ouvindo bem

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email