Egypt's Ministry of Antiquities

Arqueólogos, pesquisadores que procuram e estudam objetos para entender como viviam os povos do passado, descobriram uma outra múmia de mais de 3 mil anos, na cidade de Luxor, no Egito.

A relíquia foi encontrada em uma tumba que, de acordo com os pesquisadores, foi construída entre 1075 a.C. e 664 a.C.

Apesar de ser antiga, a múmia estava em ótimo estado, tinha cores vibrantes e traços bem definidos, com desenhos de figuras da mitologia egípcia, como a deusa Isis (deusa do amor) e os quatro filhos do deus Horus (deus do céu).

De acordo com o Ministério das Antiguidades do Egito a tumba, ao que tudo indica, pertenceu a Amenrenef, um homem que servia a família real.

Os egípcios antigos tinham o hábito de mumificar os corpos para preservá-los após a morte. Eles acreditavam que se o corpo do morto apodrecesse, o espírito não o reconheceria e, assim, ele não poderia reencarnar.

Naquela época, para ser colocado em uma tumba era preciso ter muito dinheiro, por isso na maioria das vezes, apenas os faraós (os governantes do país) e membros das classes mais altas eram mumificados.

Luxor, cidade que hoje tem 500 mil habitantes, tem muitos templos faraônicos e fica às margens do Nilo, perto do famoso  Vale dos Reis e o Vale das Rainhas da Necrópole egípcia.

 

Enquete

De qual capa do Joca em 2022 você mais gostou até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email