O Brasil chegou a mais de 106 milhões de pessoas totalmente vacinadas contra a covid-19, no dia 20 de outubro. O número representa metade da população brasileira e se refere a quem tomou duas doses de alguma vacina ou a dose única contra a doença.

Já os que tomaram a primeira dose de algum imunizante somavam, então, mais de 152 milhões de pessoas, ou seja, 71% da população. Outros 5 milhões receberam a dose de reforço. Os dados foram divulgados pelo consórcio de veículos de imprensa com base em números fornecidos pelos governos estaduais. A seguir, confira mais atualizações sobre a pandemia no país.

#pracegover: Adolescente é vacinado por profissional de saúde. Crédito de imagem: André Carvalho/Smed, Itamar Aguiar/Palácio Piratini

Semana com menor número de mortes desde 2020
No dia 16 de outubro, o Brasil registrou 483 mortes e 11.250 casos de covid-19, segundo números do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Para se ter ideia da melhora, em abril de 2021, no pico da pandemia, foram notificadas mais de 3 mil mortes por dia.

Ao fim da semana em questão, foram registradas 2.323 mortes pela doença, o menor número desde abril de 2020, quando a pandemia começava no país e os índices ainda eram baixos. Na mesma semana, o número de novos casos chegou a 71.545, o menor desde a semana encerrada em 9 de maio deste ano.

Medidas preventivas devem ser mantidas, diz Fiocruz
A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) comemora as boas notícias, mas alerta que ainda não é hora de deixar os cuidados de lado. Segundo boletim publicado pela entidade em 7 de outubro, os números atuais comprovam o sucesso da vacinação na prevenção de formas graves e fatais da doença, além de baixa ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS) na maioria dos estados.

O documento alerta, porém, que a população deve continuar usando máscara e mantendo outras medidas de prevenção, como lavar bem as mãos, fazer distanciamento social e utilizar álcool em gel. O objetivo é seguir bloqueando a circulação do vírus.

O Índice de Permanência Domiciliar, que calcula quantas pessoas estão ficando em casa, está perto de zero desde julho. Isso significa que a quantidade de pessoas se deslocando nas ruas no momento é praticamente a mesma do período anterior à pandemia. Os pesquisadores alertam que o aumento da circulação cria situações de aglomeração, como no transporte público, em compras e diversão. Atividades que representem maior concentração de pessoas só devem ser realizadas com comprovante de vacinação, dizem os cientistas.

Segundo o documento da Fiocruz, apesar de metade da população estar imunizada, como as vacinas não previnem completamente a infecção ou a transmissão do vírus, a doença continua circulando, provocando casos e internações. De acordo com a fundação, só o distanciamento social pode bloquear essa circulação até que pelo menos 80% da população esteja completamente imunizada.

Números da covid-19 no Brasil

Total de casos: 21.735.560
Total de mortes: 605.804
Pessoas vacinadas, 1ª dose: 153.659.173
Pessoas vacinadas, dose única ou segunda dose: 115.489.35
Fonte: Ministério da Saúde, em 25 de outubro.

Fontes: Agência Brasil, CNN Brasil, Fiocruz, G1 e Ministério da Saúde, em 25 de outubro.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 179 do jornal Joca

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email