O Ministério da Educação divulgou nesta quinta-feira, dia 6, a terceira versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), um documento criado pelo governo com a pretensão de conduzir melhorias desde a educação infantil ao 9º ano do ensino fundamental.

Divulgação / MEC

Segundo o documento, ao final do 1º ano, ou seja, aos 7 anos, as crianças já deverão saber ler e conseguir escrever “espontaneamente ou por ditado” palavras e frases “de forma alfabética”.

Além disso, a criança deve saber escrever corretamente o próprio nome, o dos pais, o endereço completo e ler palavras e pequenos textos.

Outras alterações são em relação à língua inglesa, que passa a ser obrigatória a partir do 6º ano do Ensino Fundamental. A novidade fica por conta do ensino de probabilidade e estatística, que passará a ser aplicado aos alunos desde o 1º ano.

Esse é o primeiro documento do Brasil que serve como base para 190 mil escolas brasileiras (públicas e privadas), criarem suas aulas e ensinarem seus alunos.

O Conselho Nacional de Educação deve concluir a avaliação até meados do segundo semestre, e o MEC tem dois anos para que todas as redes possam definir o currículo.

O ensino médio ficou fora do BNCC, pois o projeto de lei da reforma já foi sancionado pelo presidente Michel Temer.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email