A vacina da Pfizer/BioNTech para combater a covid-19 começou a ser administrada em jovens de 5 a 11 anos nos Estados Unidos, em 3 de novembro. A decisão do governo local para imunizar essa faixa etária veio depois de uma recomendação da Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA, na sigla em inglês) e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do país.

Um relatório divulgado pela Pfizer/BioNTech afirma que a vacina teve 90,7% de eficácia contra formas sintomáticas da covid-19 nessa faixa etária — as doses administradas têm um terço da quantidade do imunizante dada aos adultos e adolescentes.

Outros países
A China foi o primeiro país a aplicar vacina contra a covid-19 nos mais novos: por lá, quem tem 3 anos ou mais recebe o imunizante da Sinovac desde junho. Outras nações, como El Salvador e Chile, já vacinam a partir dos 6 anos. 

No Brasil, ainda não há previsão de quando a faixa de 5 a 11 anos será imunizada. A Secretaria de Saúde do Piauí e o governador de São Paulo, João Doria, por exemplo, enviaram um pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para liberar a vacinação com urgência.

O que eu penso sobre…
“Tomar a vacina, porque a maioria das pessoas que eu conheço já tomou e acho que fazer minhas atividades do dia a dia será muito mais seguro. Quanto mais pessoas imunizadas, mais rápido a pandemia vai acabar e vamos evitar as formas mais graves da covid-19.” Lucas B., 11 anos, de Votorantim (SP)

Lucas-vacina
#pracegover: Lucas usa camiseta branca com estampa preta. Foto: arquivo pessoal

Fontes: Agência Brasil, BBC, Canaltech, CNN Brasil, G1 e Poder360.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 180 do jornal Joca

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email