O Papa Francisco terá um encontro histórico com Kirill, o patriarca da Igreja Russa Ortodoxa, em Cuba, hoje.

Papa Francisco, assumiu o comando da Igreja Católica Romana, em 2013

Esse será o primeiro encontro entre os líderes de dois dos principais ramos do cristianismo desde sua separação.

Os representantes das duas igrejas não se reuniam desde em 1504, quando as igrejas Católica Apostólica Romana e Católica Apostólica Ortodoxa se dividiram durante a Grande Cisma do Oriente, em 1054.

Kirill, em russo: Владимир Михайлович Гундяев é o bispo da Igreja Ortodoxa Russa desde  2009

Os dois irão se reunir no aeroporto de Havana, junto com o presidente Raul Castro, para apresentar uma declaração conjunta.

O encontro estava sendo planejado há anos e é um passo muito importante passo para a reaproximação das duas igrejas, que se dividiram há mil anos.

No passado, esse encontro foi tentado, sem sucesso. Foi no tempo do Papa João Paulo 2º e do patriarca Alexis 2º.

Mas, por que as Igrejas Católica e Ortodoxa estão afastadas há mil anos?

 

Em 1054, o papa de Roma e o patriarca de Constantinopla participaram do grande cisma do cristianismo – que existe até hoje.

Isso aconteceu porque havia uma distância cultural entre as duas igrejas.

No Ocidente, a Igreja falava latim, enquanto o Oriente, era influenciado pela cultura grega.

Em cada canto do mundo, os cristãos passaram a ter suas crenças e isso os distanciou. Isso também causou uma diferença a respeito de seu líder: na Igreja Católica o papa é a máxima figura de autoridade, na Ortodoxa há uma divisão em patriarcados e uma falta de liderança clara.

E agora?

Vaticano, sede da Igreja Católica Romana

A união das duas igrejas cristãs não vai acontecer de um dia para o outro. Mas o encontro vai iniciar esse processo.

O Papa Francisco já queria aproximar as igrejas e iniciar uma reforma. Já a Igreja Ortodoxa acha ficará fraca, caso haja uma união. Isso porque por não ter um líder supremo com força, eles temem que o papa assuma tudo. Para se ter uma ideia, há 50 anos a ortodoxa tenta convocar assembleia de bispos mas não consegue reuni-los por porque não há uma autoridade central para convocá-lo.

Catedral de São Basílio, igreja do cristianismo ortodoxo, na Praça Vermelha, em Moscou, Rússia

Hoje existem cerca de 200 milhões de fieis na Igreja Ortodoxa Russa. Na Igreja Católica há 1,2 bilhão de fiéis.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email