Noite de autógrafos realizada pelos estudantes da Emef Profª Maria Diva Franco de Oliveira. Crédito de imagem: arquivo pessoal

Comemorado em 20 de outubro, o Dia do Poeta traz à memória a poesia, um gênero artístico milenar que pode ser feito por meio de palavras, imagens, sons e outros elementos. Dentro das escolas, a produção e leitura de poemas (gênero de texto poético) pode funcionar como a porta de entrada para o mundo da literatura, além de estimular a criatividade e o senso artístico.

Na Emef Profª Maria Diva Franco de Oliveira, em Mogi Guaçu (SP), as professoras Eliana Tanabe, Vandenilda Kawati e Daniela Mendonça desenvolveram com as turmas de 5º ano um projeto de construção coletiva de poesia. Ao longo de boa parte do ano, os alunos criaram juntos uma estrofe com rimas para cada colega da sala. Os textos trazem curiosidades e elogios para cada um.

No fim, as estrofes, acompanhadas de retratos dos estudantes, formaram em cada turma os livros: Um Pouquinho de Cada Um, Poesia e Alegria e Turminha da Sala 4 — todos com um prefácio (texto de apresentação) escrito por Fátima Fílon, poeta e integrante do grupo Teodoras do Cordel (gênero literário escrito em versos).

“Com a modernidade e a rapidez das coisas, poucas pessoas gostam tanto de poesia, porque ela acaba sendo mais difícil de ser compreendida. Nós colocamos uma sementinha para que eles tenham o gosto por esse tipo de texto”,

reflete a professora Daniela.

Em 26 de setembro, as turmas organizaram uma noite para apresentar os poemas e cada aluno autografar os livros, presenteando familiares (foto do grupo à direita). Miguel D. e Nicolly F., do 5º ano A e B, sentiram-se estrelas na noite de autógrafos. O projeto, segundo Davi C., do 5º C, ainda ajudou alunos que não sabiam ler: “Eu não sabia fazer rima, agora sei”.

Estudantes da Emef Profª Maria Diva Franco de Oliveira, em Mogi Guaçu (SP). Crédito de imagem: arquivo pessoal

Poesia concreta

Outra escola que trabalhou recentemente com poesia em sala de aula, desta vez no 4º ano, foi a Eliezer Max, do Rio de Janeiro (RJ). No terceiro trimestre, as turmas leram A Caligrafia de Dona Sofia, de André Neves, que conta a história de uma professora aposentada e apaixonada por poemas, a ponto de espalhá-los pelas paredes da casa inteira. Com a leitura, os estudantes aprenderam a recitar e produzir textos poéticos.

Uma das atividades envolveu poesia concreta, um conjunto de textos e palavras que, ao ser disposto de determinada maneira, forma imagens relacionadas ao conteúdo. “Nas produções, os alunos trazem a beleza em temas do cotidiano deles, como a escola, amigos e família”, conta Simone Messias, coordenadora pedagógica do colégio.

Depois de criar poemas coletivos e individuais (exemplo na primeira foto acima), os estudantes se preparam para a Festa Literária da escola, em 5 de novembro. Além de expor murais e varais de poesia, eles irão recitar textos e convidar os familiares a fazer o mesmo. Para Fernanda B., do 4º ano, a poesia é muito bonita e mexe com o coração. Já Flor F., da mesma turma, diz em uma de suas produções que “ser poeta é fazer as pessoas refletirem e se encantarem, colocando óculos nelas”.

Livros e depoimentos da Emef Profª Maria Diva Franco de Oliveira

“[A noite de autógrafos] foi incrível, eu me diverti muito, nunca me senti tão importante. Foi com a poesia que eu aprendi a rimar, também descobri muitas coisas de meus colegas.”

Nicole D., 10 anos

“Foi uma noite inesquecível, muita gente me olhando, o nervosismo batendo. Foi muito interessante ler uma coisa que todo mundo estudou por muito tempo. A poesia é (…) um gênero muito legal. Eu conheci um pouco de cada um e aprendi a fazer rima com mais facilidade.”

João Miguel L., 11 anos

“Foi um dia inesquecível para mim, porque vou mudar de escola e isso vai ficar guardado no coração. Na poesia, podemos aprender sentimentos, conhecer melhor as pessoas. Gostei muito, porque pude conhecer melhor os meus amigos. Comecei a gostar muito desse gênero textual e, principalmente, conhecer sobre ele.”

Ana Laura C., 10 anos

“Eu achei muito legal. Deu um frio na barriga e foi muito emocionante. Esse projeto ajudou alguns alunos que não sabem ler e já vão treinando. Eu não sabia fazer rima, agora eu sei.”

Davi C., 10 anos

“Foi muito bom, valeu cada pedacinho. Estava ótimo, foi um dos melhores dias da minha vida.”

Isadora Sofia M., 10 anos

“Para mim, a poesia é o tipo de texto que me relaxa quando eu crio uma estrofe. [Gostei de participar], depois de tanto nervosismo e tremedeira.”

Isabela Vitoria G., 9 anos

“Foi incrível, meu pai e minha mãe ficaram orgulhosos de mim. Eu me senti a estrela da noite. Eu amei esse projeto, pois valeu todo o esforço da minha professora e dos meus colegas. Ajudou até a nossa criatividade mental.”

Miguel D., 11 anos

“Foi uma experiência única e muito divertida. A poesia nos faz esquecer dos problemas e usar a nossa criatividade. Foi muito importante para mim participar de um projeto tão especial e escrever poesias muito bonitas com meus amigos.”

Júlia M., 10 anos

“[Eu gostei de participar], porque valeu muito a espera e me inspirou muito.”

Bruna P., 10 anos

“O mundo está muito poluído, e a poesia é uma maneira de alegrar as pessoas.”

Maria F., 10 anos

“A poesia pode tirar as doenças de uma pessoa.”

Vitor Antônio F., 11 anos

“[A noite] foi algo surpreendente, foram várias pessoas importantes da cidade. A poesia transmite conhecimento e criatividade, [O projeto] foi algo diferente e ficou ainda mais divertido de escrever com cada colega.”

Noah M.

“A noite de autógrafos foi muito legal para mim e para os meus colegas. Essa experiência nova nos mostrou como é ser um escritor e que, com um livro, você pode ensinar, alegrar e até mesmo mudar a vida de uma pessoa. Para mim, a poesia é importante porque, em um texto tão pequeno, expressa tão bem nosso sentimento. Ela nos cativa do início ao fim, podendo até virar letra de canção.”

Nathan Roberto S.

“A noite de autógrafos foi muito legal, porque meus pais estavam lá e tinha várias poesias incríveis. Foi um momento muito especial, mas o que eu mais gostei foi de autografar os livros de poesia. O convívio com a poesia favorece o prazer da leitura do texto poético e a produção dos próprios poemas. Nesse tempo aprendi bastante e o trabalho me ajudou a desenvolver redação.”

Nicole Fernanda O.

“A noite de autógrafos foi incrível, me ajudou na questão da timidez, e vou lembrar dela com muito carinho. E também foi muito divertido fazer poemas e saber mais sobre os meus amigos. Eu queria agradecer às professoras e a todos os envolvidos. Para mim, a poesia é muito importante, pois me inspira e me deixa feliz. A maioria dos livros que eu leio são de poesia. [A poesia] é muito importante para a alfabetização e a aprendizagem das crianças.”

Maria Eduarda V.

Poesias da Escola Eliezer Max

Projeto Poemas e Poesias: desenvolvido pelos alunos do 4° ano da Escola Eliezer Max com as professoras Giovana Trica e Maria de Fatima Fenandes.


Enquete

Sobre qual assunto você gosta mais de ler no portal do Joca?

Comentários (3)

  • Nathan Roberto De Souza

    4 meses atrás

    Eu amei essa experiência

  • LIVIA DE SOUZA

    4 meses atrás

    EU ACHEI MUITO LEGAL

  • joca_aluno_mogiguacu3

    4 meses atrás

    Nós, alunos do 5º ano A da EMEF"Profª Maria Diva Franco de Oliveira", agradecemos por vocês estarem presentes na nossa escola, através do jornal Joca. Parabéns pela criatividade dos alunos do 4º ano da Escola Eliezer Max, as poesias e os poemas concretos estão incríveis. Foi inesquecível ler esta reportagem, pois ficamos famosinhos! Hi hi hi.

Compartilhar por email

error: Contéudo Protegido