A Câmara dos Deputados votou ontem, dia 2 de agosto, em Brasília, pelo arquivamento da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Foram 263 votos a favor de Temer e 227 contra; 2 abstenções e 20 não votaram. Com esse placar, o Supremo Tribunal Federal (STF), nossa Corte máxima, não irá julgar a denúncia de suposto recebimento de propina do presidente.

Temer é acusado pela Procuradoria-Geral da República de ter recebido meio milhão de reais em propina paga pela JBS, empresa do ramo alimentício, em troca de favores à empresa junto a órgãos federais.

Confusão durante a votação do arquivamento de denúncia contra Michel Temer

A sessão durou 13 horas e foi bastante conturbada. Para que a investigação continuasse, era preciso que 342 dos 513 deputados votassem a favor.

A maior parte dos deputados justificou sua posição dizendo que, no momento, o mais importante é recuperar a economia a partir das reformas estruturais tocadas por Temer. O presidente já aprovou no Congresso o teto de gastos públicos, a reforma trabalhista e aguarda, agora, a análise da reforma da Previdência.

Com a decisão, Michel Temer, o primeiro presidente da história formalmente acusado de cometer um crime comum durante o mandato, continuará no cargo.

Enquete

De qual capa do Joca em 2022 você mais gostou até agora?

Comentários (0)

Compartilhar por email