O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou nessa terça-feira, 12 de setembro, as sanções recomendadas pelos Estados Unidos contra a Coreia do Norte.

Como resposta, o ditador norte-coreano rejeitou as imposições e afirmou que os EUA enfrentarão, em breve, “a maior dor” que já sentiram.

O embaixador da Coreia do Norte, Han Tae Song, reforçou a rejeição norte-coreana e disse à Conferência de Desarmamento promovida pela ONU, em Genebra, que o governo de Donald Trump está “obcecado com o jogo selvagem de reverter o desenvolvimento de força nuclear” da Coreia, e que “disparou um confronto político, econômico e militar”.

No domingo (10), o governo de Pyongyang já havia divulgado um comunicado, reproduzido pela agência oficial KCNA, ameaçando os Estados Unidos. O texto criticava as sanções propostas pelo governo americano.

De acordo com o comunicado, se Washington “aplicar esta resolução ilegal sobre um endurecimento das sanções, a Coreia do Norte garantirá que os Estados Unidos paguem o preço”.

O texto ainda reforçava que “o mundo será testemunha de como a Coreia do Norte dobra os gângsteres americanos lançando uma série de ações mais duras do que se possa imaginar”.

Sanções

As medidas aprovadas pelo Conselho da ONU proíbem as exportações de produtos têxteis do país de Kim Jong-un e limitam as importações de petróleo.

O maior parceiro comercial da Coreia do Norte é a China, que concentra 90% das exportações do país. Logo atrás estão a Índia e o Paquistão.

Aprovada por unanimidade pelos membros do Conselho, a resolução tenta combater os programas de mísseis balísticos e nuclear lançados pela Coreia do Norte.

Enquete

Como você está participando dos 10 anos do Joca?

Comentários (2)

  • arthur balsanelli de lima

    4 anos atrás

    caraca, espero que não de guerra

  • Jornal Joca

    4 anos atrás

    Nós também esperamos, Arthur. Obrigado por ler o Joca. ;-)

Compartilhar por email