O jeans é, sem dúvida, a peça do vestuário mais conhecida e usada ao redor do mundo.

A história deste tecido começa em Nimes, na França, por volta do ano 1792, quando foi fabricado pela primeira vez. Logo passou a ser conhecido como o “tecido de Nimes” e, com o tempo, a expressão foi abreviada para “denim”.

Na época, as peças feitas desse tecido robusto e durável eram usadas por trabalhadores do campo e marinheiros. Os marinheiros do porto de Gênova, na Itália, tinham o costume de chamar suas calças de trabalho de “genes”. Com seu sotaque italiano, a expressão acabou se transformando em “jeans”, e assim é hoje conhecida pelo mundo.

Mais adiante na história, o tecido chegou aos Estados Unidos. O jovem judeu alemão Levi Strauss, que vendia lona para carroças usadas por mineiros na corrida do ouro, percebeu que as roupas usadas por esses trabalhadores não eram adequadas às suas atividades e resolveu procurar na Europa um material mais resistente, durável, flexível e confortável para melhor atender esses trabalhadores. Encontrou, então, o “tecido de Nimes”.

Levi Straus

O primeiro lote de calças de Levi Strauss tinha o código 501, na cor marrom, e acabou por se tornar, posteriormente, o modelo mais famoso da marca hoje conhecida como “LEVIS”. Com o passar dos anos, foram incorporadas melhorias aos modelos: em 1860, foram acrescentados botões de metal; em 1886, passaram a costurar a etiqueta em couro no cós das calças; em 1890, para tornar a peça mais atraente, introduziram a cor índigo (popular hoje em dia); em 1910, foram incluídos bolsos traseiros.

A popularidade mundial do jeans começou na década de 30, por meio dos filmes de cowboys americanos. Feito originalmente para durar, sem requerer grandes cuidados no seu uso, o tecido foi também utilizado nas fardas do exército americano na Segunda Guerra Mundial.

Após a Segunda Guerra, as calças jeans já eram consideradas moda. Mantendo as características originais dos primeiros modelos feitos por Levi Strauss, eram usadas por trabalhadores do campo e da cidade, homens e mulheres de todas as classes sociais. Na década de 50, a juventude americana passou a adotar a peça quase como “uniforme”. Depois vieram os hippies, usando jeans nos festivais em que pregavam paz e amor, nas marchas contra a Guerra do Vietnã e nas manifestações realizadas com frequência nas universidades americanas nos anos 60.

Nessa época, diversas peças já eram confeccionadas nesse tecido, como shorts, saias, jaquetas e camisas.  A liberdade de combinações faz da peça um “coringa” nos mais diversos estilos.

Como podemos perceber, o jeans é um item cuja história é uma demonstração perfeita da hoje tão falada “globalização”: tecido cuja origem do nome é francesa; industrializado pela primeira vez nos Estados Unidos; batizado como “jeans” pelos italianos, e, sem medo de errar, tornou-se peça quase que obrigatória no guarda roupa de todo mundo.

Quem é Gabi Rossi? 

Advogada há 20 anos, Gabi trabalhou em grandes escritórios de advocacia em São Paulo e em Nova York.

Apaixonada por moda e tudo o que se refere a estilo, ela tem 2 perfis de moda no Instagram: o @duvidasnocabide e o @gabirrossi09.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email