Foto: Yenny Muñoa/ CubaMINRE

Depois de 52 anos de uma guerra interna que matou mais de 220 mil pessoas o governo da Colômbia e as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) assinaram um acordo de paz em Havana, capital de Cuba.

O acordo, vinha sendo discutido entre Cuba, Noruega, Venezuela e Colômbia, desde 23 de fevereiro de 2012.

Esse ato tenta acabar com um dos conflitos armados mais longos do mundo. Com ele, os milhares de guerrilheiros (incluindo crianças-soldados) voltarão para suas casas e as minas e armadilhas explosivas que infestaram o país terão que ser removidas, um processo longo, dificil e muito perigoso.

As minas estão prontas para explodir quando qualquer pessoa encoste nelas.  Será preciso identificar os locais infestados e descontaminá-los.

As Farc dizem ser um movimento revolucionário que surgiu em 1948 para ajudar os camponeses que se diziam explorados pelos grandes fazendeiros. De lá para cá, o conflito aumentou muito e as Farcs ficaram muito violentas.

Nos anos 1960, 1970 e 1980, enquanto o mundo se dividia entre os capitalistas (comandados pelos EUA) e os comunistas (com a URSS, hoje Rússia), a Farc se uniu aos traficantes de drogas. Eles faziam muitos sequestros e bombardeios para chamar atenção do mundo.

A resposta veio da polícia, do exército e de grupos de direita, inclusive dos fazendeiros.

 

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email