“Tenho 11 anos e ainda chupo o dedo para dormir. Às vezes consigo adormecer sem, mas acordo com o dedo na boca. Não durmo na casa dos meus amigos por vergonha e medo de que eles riam de mim. Como faço para conseguir parar?”
– Hugo, 11 anos.

________________________________________________________________________________________

Querido Hugo! Cada um de nós tem pelo menos um desafio difícil para enfrentar! Ninguém precisa ter vergonha, pois não conheço nenhuma criança, ou adolescente, ou adulto que não precise enfrentar uma dificuldade. Tem gente que faz de conta que não tem dificuldade! Não acredite quando falarem isso, logo pergunte o que eles têm de difícil para resolver.

Tem algumas dicas para você enfrentar o dedo na boca: escreva um bilhete para você mesmo e coloque debaixo do travesseiro, para enquanto você sonhar ir trabalhando na sua meta.

Nesse papel, escrito com sua letra (não no computador), diga ao seu sonho que você já fez 11 anos e que já aprendeu muitas coisas de um menino grande: estudar, tomar conta de você mesmo, conversar com os adultos, ter opiniões, ser independente, usar o banheiro, mas que falta só uma importante: deixar de chupar o dedo, pois quando isso acontece você tem medo de ser um bebê novamente. Escreva também que era muito gostoso chupar o dedo quando era um bebê, pois parecia que você estava mamando, mas que você cresceu e não gosta mais, por isso quer esquecer esse jeito de dormir.

Leia a carta todas as noites antes de colocar debaixo do travesseiro. Eu conheço um menino e uma menina que cresceram e esqueceram de chupar o dedo com a carta ajudando. Vamos fazer isso?

Se você tiver vontade, conte para seus pais as ideias para fazer o projeto crescer nos sonhos.

Beijos,

Sandra Fedullo Colombo – terapeuta familiar e sócia-fundadora do Instituto Sistemas Humanos (sistemashumanos.org).

 

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email