Personagem é famoso por não gostar de água e não tomar banho. Crédito de imagem: Turma da Mônica/Mauricio de Sousa Produções/divulgação

As contas oficiais da Turma da Mônica publicaram, em 7 de maio, uma imagem conscientizando sobre as chuvas e enchentes que acontecem no Rio Grande do Sul (RS) há dias. A ilustração traz Cascão — personagem conhecido por não gostar de se molhar — em meio a uma inundação, buscando auxiliar vítimas isoladas em uma casa. “Em uma catástrofe como essa, toda ajuda é bem-vinda e até o Cascão sabe disso”, declara a publicação.

A ideia da mensagem é promover a doação de dinheiro para as vítimas das enchentes — consulte um adulto responsável sobre doações para o RS. Com a imagem atual, a Turma da Mônica publicou uma ilustração antiga do Cascão no mesmo contexto, mas feita em 1983.

“A primeira vez que o Cascão entrou na água foi em 1983, para ajudar vítimas das enchentes na Região Sul do país”, explica a publicação sobre o ano em que centenas de municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná decretaram estado de calamidade pública, após uma série histórica de chuvas e inundações no mês de julho (veja a publicação).

Estado de calamidade pública: com o decreto, o governo pode utilizar recursos financeiros complementares para conter os danos e colaborar com as vítimas, além de mobilizar os órgãos públicos para atuar emergencialmente. Diversos estados brasileiros enviaram ajuda e recursos para o RS. Além disso, campanhas de doações foram divulgadas na internet. 

Segundo um balanço publicado pela Defesa Civil do estado em 8 de maio, foram afetados 417 municípios, 66.761 pessoas estão em abrigos, 163.720 desalojadas; 372 feridas e 100 morreram em consequência da tragédia.

Defesa civil: órgão responsável pelas ações preventivas e de socorro à sociedade, mediante eventos como desastres naturais.

Atualizações

Registro feito durante resgate com helicóptero do corpo de bombeiros na Região Metropolitana de Porto Alegre. Crédito de imagem: Lauro Alves (Secom)/reprodução

☞ Em 8 de maio, o governo do RS declarou que cinco barragens (tipos de barreiras feitas para reter grande quantidade de água) estavam sob nível máximo de emergência, com alto risco de rompimento: Usina Hidrelétrica (UHE) 14 de Julho, em Cotiporã e Bento Gonçalves; Pequena Central Hidrelétrica (PCH) do Salto Forqueta, em São José do Herval e Putinga; Barragem de São Miguel, em Bento Gonçalves; Barragem Saturnino de Brito, em São Martinho da Serra; e Barragem do Arroio Barracão, em Bento Gonçalves. Já a Barragem Capané, em Cachoeira do Sul, está em nível de alerta — em que são exigidas providências para manutenção da estrutura.

Usina Hidrelétrica: obra industrial capaz de transformar a força das águas de rios e represas em energia.

☞ O governo recomendou que as pessoas resgatadas não retornem para casa ainda, especialmente moradores de áreas metropolitanas (centros urbanos). “O risco persiste diante da previsão de novas ondas de chuvas para os próximos dias. Além dos perigos físicos, a preocupação com a saúde humana é prioridade. A propagação de doenças é uma ameaça em ambientes alagados, representando um sério risco para a saúde pública”, disse o governo em nota.

Abrigo no município de Pelotas (RS). Crédito de imagem: Michel Corvello/reprodução

☞ Em 7 de maio, representantes governamentais, instituições e empresas se reuniram com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, para conversar sobre o planejamento de reconstrução do estado quando a situação atual for amenizada. “O projeto passará pelas etapas de assistência, restabelecimento e reconstrução, que focará na recuperação do RS, e de prevenção e resiliência climática, que formulará estratégias para que se possa prevenir e minimizar as emergências climáticas”, declarou o governo em nota. Alguns especialistas apontam a necessidade de realocar bairros e cidades localizadas em áreas de risco, como em regiões baixas e próximas aos rios, para que tragédias como essa não voltem a acontecer.

Fontes: Turma da Mônica (X), Memorial da Globo, Defesa Civil (RS), Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Pleno News e Fotos Públicas.

Ixi! Você bateu no paywall!

Ainda não é assinante? Assine agora e tenha acesso ilimitado ao conteúdo do Joca.

Assinante? Faça Login

Voltar para a home

Ou faça sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo do Joca

Assine

Enquete

Sobre qual assunto você gosta mais de ler no portal do Joca?

Comentários (7)

  • aluno_somar22 aluno_somar22

    2 semanas atrás

    E MUITO TRISTE A SITUAÇÃO DO POVO DO RS. MAS ELES TEM QUE SER FORTES PARA PROSSEGUIR , E SER FORTE PARA AGUENTAR POR QUE DEUS VAI AJUDAR ELES E TAMBÉM ELES NÃO MERECIAM ESSA SITUAÇÃO. MAS TEMHO FÉ QUE VAI PASSAR VOU ORAR POR VOCÊS

  • aluno_somar18 aluno_somar18

    2 semanas atrás

    eu aprendi que as pessoas que sofreram a tragédia do RS estão morando em abrigos do Governo e que os desastres naturais e tragédia não podem só acontecer no Rio Grande Do Sul mas como podem acontecer aqui em São Paulo e qualquer outro lugar.

  • 2 semanas atrás

    FIQUEI IMPRESSIONADA QUANDO O CASCÃO SE MOLHOU NA ÁGUA DO RS PARA AJUDAR AS PESSOAS DO RS MAS O QUE ELE FEZ FOI MUITO LEGAL PARA AJUDAR AS PESSOAS .

  • aluno_somar18 aluno_somar18

    2 semanas atrás

    Nós gostamos da noticia. Muito importante devemos procurar a ajudar o próximo

  • Joaquim Rabello

    2 semanas atrás

    salvem o rio grande

  • Joaquim Rabello

    2 semanas atrás

    doem agua comida e dinheiro para nessecitados do rio grande do sul

  • Joaquim Rabello

    2 semanas atrás

    o cascão entrou na agua que sus

Compartilhar por email

error: Contéudo Protegido