Carlotas – Joca 82

Uma boa história faz a gente viajar, experimentar sensações, conhecer lugares e pessoas que nunca imaginou. As histórias nos aproximam uns dos outros, nos conectam com os personagens e nos fazem tentar entender sua vida, seu modo de pensar e até, viver um pouquinho como ele. Podemos dizer que se entregar a uma narrativa, faz a gente experimentar um pouco de empatia, buscando em nós sensações e emoções que são trazidas no enredo.
Já imaginou poder fazer isso ao vivo, com um personagem de uma história real?

Essa é a proposta da Biblioteca Humana, que faz parte do Museu da Empatia matéria da edição 67 do Jornal Joca. A Biblioteca Humana propõe que, ao invés de emprestar livros, a gente “empreste” alguém para um bate papo e ouvir suas histórias. Com essa proposta, você pode não só ouvir as história mas também interagir e perguntar algum detalhe a mais que queira saber.

Que tal experimentar e ouvir histórias incríveis? Você pode organizar uma sessão na sua casa e convidar a família e amigos para uma tarde de contação de histórias. Pode ainda pedir para levarem fotos para ilustrar essas histórias.

Adoraríamos conhecer as histórias que ouviu pelo email carlotas@carlotas.com.br.

Carlotas é uma iniciativa que promove o diálogo sobre respeito e empatia para ajudar as pessoas a viverem melhor. Saiba em www.carlotas.org

joca82_bibliotecahumana

Encarte – Educadores

Biblioteca Humana

As histórias são fonte de muitos aprendizados. Além de retratar costumes de uma época ou simplesmente trabalhar um estilo literário, as histórias nos fazem experimentar sensações e conhecer lugares e pessoas diferentes. Com elas, nos aproximamos uns dos outros e nos conectamos com os personagens que nos fazem entrar em suas vidas, seu modo de pensar e até, viver um pouquinho como eles. Trabalhar histórias de um modo geral, permite trazer o exercício da empatia, convidando a todos a experimentar sentimentos que os personagens estejam vivendo no enredo.

Inspirados pela Biblioteca Humana, sugerímos uma atividade de contação de histórias. Neste caso, registros de histórias reais das famílias. Cada aluno pode organizar uma sessão em casa com os familiares e trazer também suas próprias histórias. Incluir registros fotográficos ou mesmo desenhos e objetos que representem determinada história enriquecem o processo.

Depois, essas histórias podem ser partilhadas entre os alunos. Durante as conversas de contação de história, vale estimular que cada aluno ouvinte preste atenção no máximo de detalhes e façam perguntas caso tem dúvidas.

A escuta será um exercício muito importante para esta atividade e seu aprendizado pode ser trazido para o grupo com reflexões como:

  • Você se surpreendeu com alguma das histórias que ouviu?
  • Você preferiu ouvir as histórias ou contar a sua?
  • Você teve que perguntar muita coisa ou as histórias já tinham bastante detalhe?
  • Como você se sentiu em ouvir histórias de seus familiares? E dos colegas?
  • Como vcoê se sentiu contando sua história?

Adoraríamos saber como foram as reflexões da sua turma. Compartilhe conosco como foi essa conversa pelo email carlotas@carlotas.com.br.

Carlotas é uma iniciativa que promove o diálogo sobre respeito e empatia para ajudar a melhorar as relações entre as pessoas. Acreditamos que o educador é um dos pilares fundamentais dessa transformação e, para isso, temos um trabalho focado nele. Saiba mais em www.carlotas.org

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • Raquel Funari

    4 anos atrás

    Que projeto bacana!!! O poeta africano do Mali, nos deixou uma frase , que resume a biblioteca humana: "Quando morre um africano idoso é como se queimasse uma biblioteca”. Vale a pena compartilhar histórias da sua turma, pelo e-mail carlotas@carlotas.com.br

Compartilhar por email