Cerca de 72 pessoas morreram e há mais de 240 feridos no atentado contra cristãos.
Ao menos 29 crianças que aproveitavam o feriado da Páscoa morreram.

Cidade de Lahore, no Paquistão

O governo do Paquistão está a procura de pessoas que fazem parte do Talibã, grupo extremista que apoia o Estado Islâmico e que assumiu a culpa do ataque suicida contra cristãos que deixou 72 mortos em um parque em Lahore.

Parque em Lahore

Pelo menos 29 crianças que estavam no parque, no domingo de Páscoa, morreram quando homem-bomba se explodiu em um parque movimentado na cidade de Lahore, base de poder do premiê Nawaz Sharif.

 

O homem-bomba explodiu as bombas perto de  onde as crianças brincavam nos balanços.

Lahore, cidade movimentada, repleta de carros

“Executamos o ataque de Lahore e os cristãos eram o nosso alvo”, afirmou Ehsanullah Ehsan, porta-voz da facção Jamaat-ul-Ahrar, antes de prometer mais ataques contra escolas e universidades.

 

 

O Paquistão é um país de maioria muçulmana, mas tem uma população cristã de mais de 2 milhões de pessoas.

O Jamaat-ur-Ahrar já fez cinco atentados a bomba do grupo desde dezembro para aumentar sua importância entre os islâmicos do Paquistão.

Esse foi ataque o mais mortal no Paquistão desde o massacre de 134 crianças em dezembro de 2014 em Peshawar.

Bandeira Paquistão

 

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email