A Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) desmentiu a afirmação do astrônomo russo Dyomin Damir de que um asteroide bateria na Terra nesta quinta-feira (16).

Segundo Damir, uma rocha com diâmetro entre 0,5 e 1 km poderia colidir com o planeta, provocando tsunamis gigantes e podendo até extinguir a Terra.

No entanto, a SAB desmentiu o astrônomo e afirmou que o asteroide 2016 WF9 passará a cerca de 51 milhões de quilômetros da Terra, ou seja, mais de um terço da distância entre a Terra e o Sol.

Ainda de acordo com astrônomos brasileiros, o asteroide pode ser apenas um cometa escuro e sem cauda.

Já a Nasa, agência espacial americana, que foi quem descobriu a rocha em novembro de 2016, anunciou que a trajetória do 2016 WF9 é bem conhecida e que ele não ameaça a Terra.

Até o fim de fevereiro, 36 asteroides passarão perto da Terra, mas sem nenhum perigo de colisão. O asteroide que passará mais perto do nosso planeta será o 2017 BY93, no dia 23 de fevereiro.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (2)

  • Nicolas Cunha

    7 meses atrás

    que legal

  • ADRIANA DE FATIMA FERREIRA

    4 anos atrás

    nossa muito demais

Compartilhar por email