Cientistas do mundo inteiro estão trabalhando para encontrar uma vacina contra a covid-19. O processo é demorado, pois é preciso passar por diversas etapas de pesquisas e testes até a certeza de que a vacina é segura e eficaz. A estimativa é de que não haverá vacinação contra o vírus antes do segundo semestre de 2021. Veja como estão caminhando as principais iniciativas.

Cientistas trabalham em lâminas com células infectadas pelo novo coronavírus em laboratório de segurança máxima no Helmholtz Centre for Infection Research, na Alemanha. #pracegover: cientistas, com roupas especiais de proteção, dentro de laboratório estudam para encontrar vacina usando diversos equipamentos. Foto: Julian Stratenschulte/picture alliance via Getty Images

Testes em macacos
O laboratório chinês Sinovac Biotech realizou testes em macacos no dia 24 de abril e constatou que o vírus desapareceu do pulmão dos animais sete dias após a contaminação. Ou seja, o sistema imunológico (parte do organismo que protege contra as doenças) ficou preparado para lidar com a covid-19 depois da vacina. Agora, é preciso saber quanto tempo a proteção dura.

Testes em humanos
As empresas Pfizer e BioNTech iniciaram testes em seres humanos no dia 4 de maio, nos Estados Unidos. Na primeira etapa, 360 voluntários norteamericanos, com idade entre 18 e 55 anos, serão vacinados. Na segunda etapa, o mesmo vai acontecer com pessoas entre 65 e 85 anos. Em outra iniciativa, o governo da Alemanha aprovou testes em 200 pessoas saudáveis que se voluntariaram. E, no Reino Unido, a Universidade de Oxford está realizando testes com mais de mil voluntários.

Fundo global
A União Europeia anunciou, no dia 4 de maio, um fundo mundial para dar suporte financeiro ao desenvolvimento de vacinas e medicamentos. A meta é arrecadar 8,2 bilhões de dólares (cerca de R$ 45,8 bilhões). Mesmo países fora da União Europeia contribuíram — como o Japão, que doou 762 milhões de euros (mais ou menos R$ 4,5 bilhões).

Boa notícia
A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, no dia 24 de abril, uma iniciativa que conecta pesquisadores do mundo inteiro e permite que mais cientistas tenham acesso a ferramentas e informações necessárias para aprender a combater a doença. O projeto se chama Access to Covid-19 Tools Accelerator. Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, afirmou que a medida tornará as tecnologias contra a doença acessíveis a todos que precisam delas.

Esta notícia é uma atualização da reportagem “Como está o desenvolvimento de uma vacina contra a covid-19?”, que você pode ler no site do Joca: bit.ly/vacina-coronavirus-joca.

Fontes: CNN, Estadão, G1, O Globo, OMS, Sincofarma e UOL.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 149 do jornal Joca.

Enquete

Você conhece alguém que já tomou a primeira dose da vacina contra a covid-19?

Comentários (1)

  • maria eduarda

    9 meses atrás

    meu deus como pode o coronavirus esta destruindo o nosso mundo

Compartilhar por email